O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Razões para votar; eu já escolhi as minhas - Paulo Roberto de Almeida

Razões para votar

À esquerda:
Socialismo, ambientalismo, coerção estatal, intervenção econômica, política industrial, o politicamente correto, educação estatal, igualdade forçada, feminismo, protecionismo econômico, antissemitismo, nacionalismo, globalismo, desarmamento civil, aliança com ditaduras de esquerda.

À direita:
Conservadorismo machista, stalinismo industrial, intervencionismo estatal, políticas setoriais, politicamente incorreto, educação religiosa predominante, ideologia nacionalista, protecionismo, soberanismo superficial, antissemitismo, anti-globalismo, armamentismo, anti-abortismo, pena de morte, fascismo mental.

Corretamente:

Pelas liberdades econômicas, abertura aos investimentos estrangeiros, liberalização comercial, privatizações amplas e irrestritas de todas as estatais, responsabilização dos detentores de cargos públicos, investimentos prioritários em educação fundamental, autonomia real das universidades, com regime de mérito, laicismo do Estado sem privilégios a qualquer religião, fim da Justiça do Trabalho (geradora de conflitos), desconcentração bancária, combate aos cartéis de transportes, unificação dos regimes previdenciários, fim dos privilégios dos mandarins do Estado, fim dos foro privilegiado, reforma constitucional ampla, redução de todos os tributos, contra as políticas setoriais e universalização dos tratamentos fiscais, fim dos subsídios aos ricos, fim de cotas raciais (que criam fraudes e Apartheid), pela redução do Parlamento e dos gastos de todos os legislativos, reforma processual da Justiça, redução radical do tamanho do Estado e limitação severa do número de ministérios, promoção do mérito individual.
Postar um comentário