O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Mini-reflexoes sobre tres imperios - Paulo Roberto de Almeida

Mini-reflexões sobre três impérios

Paulo Roberto de Almeida
 [Objetivo: constatar realidade do mundo atual; finalidade: especulação]

Existem três grandes impérios na atualidade. Dois deles, perfeitas autocracias, sabem perfeitamente o que fazem, o que pretendem, o que querem os seus líderes. Um quer ascender, irresistivelmente. O outro quer apenas evitar de cair mais, mas deve se manter à tona, graças a seus recursos imensos, mais que seu dinamismo competitivo. O terceiro, uma democracia imperfeita, não tem a menor ideia do que pretende do mundo, a não ser a vaga intenção de conservar sua supremacia militar e sua preeminência econômica, enredado que se encontra nas tergiversações, indecisões, contradições, idas e vindas, quando não deve essa situação à ignorância crassa de seu líder do que seja o mundo, ou até o seu próprio país.
Por enquanto, esses impérios, e seus líderes, são só nacionalistas — como se fosse pouco —, mas seria muito pior se eles se tornassem militaristas agressivos, expansionistas, armamentistas, como no início do século XX, o que seria desastroso, mas não creio que cheguemos lá (embora haja uma nova competição naval e espacial).
Não voltaremos a uma Guerra Fria Geopolítica— ou seja, o equilíbrio do terror atômico — mas já estamos na Guerra Fria Econômica, e a China já ganhou essa “guerra”, pois dispõe da estratégia correta. 
E o Brasil, nisso tudo? Nada, o Brasil não importa muito, está fora do mundo. Aliás está até fora de si...

Brasília, 5 junho 2018
Postar um comentário