O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Globalismo e globobagens: seminario no Itamaraty promete - "especialistas" em antiglobalismo

O Ministério de Relações Exteriores realizará um evento em 10 de junho para discutir o globalismo, duramente criticado por representantes da ala olavista do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Entre os debatedores, aparecem o chanceler Ernesto Araújo e o assessor para assuntos internacionais Filipe G. Martins, mais conhecido como Robespirralho.
A seguir, algumas pérolas desses entendidos em globalismo, na verdade antiglobalistas: 

"O globalismo é a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural". (...) "Essencialmente é um sistema anti-humano e anticristão. A fé em Cristo significa, hoje, lutar contra o globalismo, cujo objetivo último é romper a conexão entre Deus e o homem, tornado o homem escravo e Deus irrelevante." 

Ernesto Araujo, blog "Metapolitica 17: contra o globalismo"

Globalismo é a ideologia que preconiza a construção de um aparato burocrático — de alcance global, centralizador e pouco transparente — capaz de controlar, gerir e guiar os fluxos espontâneos da globalização de acordo com certos projetos de poder. 

Filipe G. Martins, 16 de nov de 2018

"A Nova política externa: 

1/O Brasil não deixará de exportar frango e soja, carne e açúcar, mas passará a exportar também esperança e liberdade. O fato de ser uma potência agrícola não nos proíbe de ter ideais e de lutar por eles. 
2/Nestes longos anos sem ideais e sem identidade, não fechamos nenhum acordo comercial relevante. Isso mostra que não é pela autonegação ou pela adesão automática aos cânones do globalismo que o Brasil conquistará mercados, mas pela autoconfiança e pelo trabalho." 
Ernesto Araújo ✔ @ernestofaraujo  · 21 de dez de 2018

"O globalismo quer destruir a nação para favorecer os interesses políticos de uma elite transnacional ou pós-nacional, para acorrentar o pensamento humano, para privar o homem da liberdade e do senso de propósito. Esse é o projeto contra o qual o Brasil está sendo chamado a lutar. 

Filipe G. Martins, 30 de dez de 2018

"O Brasil tem que se reposicionar no embate mundial entre soberanismo e globalismo, no qual está em jogo não só a existência da nação, mas também o legado civilizacional cristão-ocidental e a própria essência do homem em sua presença diante de si mesmo e do mistério existencial."

Filipe G. Martins, 30 de dez de 2018

"Do ponto de vista teórico-conceitual, a gente tem que classificar o globalismo como uma ideologia, como um projeto de poder, uma visão até um certo ponto utópica" que dilui "a força das nações"....

Filipe G. Martins, 30 de dez de 2018

"O globalismo se constitui no ódio, através das suas várias ramificações ideológicas e seus instrumentos contrários à nação, contrários à natureza humana e contrários ao próprio nascimento humano. Nação, natureza e nascimento, todos provêm da mesma raiz etimológica, e isso se dá porque possuem entre si uma conexão profunda. Aqueles que dizem que não existem homens e mulheres são os mesmos que pregam que os países não têm direito a guardar suas fronteiras," (...) "Nós vamos lutar para reverter o globalismo e empurrá-lo de volta ao seu ponto de partida."


Ernesto Araújo, discurso de posse as Relações Exteriores, 2/01/2019

"Trabalharemos com ele [Steve Bannon] para recuperar a soberania surrupiada pelas forças elitistas globalistas progressistas e expandir o nacionalismo para todos os cidadãos da América Latina."

Eduardo Bolsonaro, deputado federal, presidente da CREDN-CD

https://www.worldgovernmentsummit.org/ 

"Depois disto, quem continue chamando o globalismo de "teoria da conspiração" é evidentemente um pobre louco. Sua demência consiste em esforços desesperados para fingir que acredita em si próprio.
Olavo de Carvalho (@opropriolavo), 5 de mar de 2019

[Confundiu "cúpula mundial dos governos", com "cúpula do governo mundial"; recomenda-se um cursinho de inglês elementar para "o próprio Olavo"; PRA; eis o que pretende o summit: 

The World Government Summit is a global platform dedicated to shaping the future of governments worldwide. Each year, the Summit sets the agenda for the next generation of governments, focusing on how they can harness innovation and technology to solve universal challenges facing humanity.]


Pérolas extraídas por Paulo Roberto de Almeida da matéria seguinte: 
"O que é o globalismo, em debate pelo Itamaraty, segundo oito especialistas"
Fonte: https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2019/05/24/o-que-e-globalismo-que-sera-debatido-pelo-itamaraty.htm?fbclid=IwAR3O5oqH8duGgvFngXmYjExG2GGN4lqTbPllg6dKWxYhVDfpZTgqjG4qCak&cmpid=copiaecola

Addendum: 
O guru de todos eles, o Rasputin de subúrbio Olavo de Carvalho, tem muitas pérolas em sua própria dimensão, que não é obviamente a nossa. Como ele é extremamente respeitado por todos os personagens acima, especialmente pelo chanceler EA, que lhe deve reconhecidamente a sua designação ao Itamaraty, caberia citar algumas de suas pérolas, as que mais identificam-no em sua fase atual, a de anti-Einstein. Não tenho ainda declarações assertivas sobre a tal de "terra plana", mas estas pérolas dedicadas ao maior físico do século XX, merecem transcrição, pela crueza de suas palavras, emitidas em uma de suas aulas.

Segundo Olavo de Carvalho, Einstein teria sido "o maior plagiário do século XX, e "mais um gênio da picaretagem do que um gênio da física", cuja "fama é 100% imerecida". 

Pois são os admiradores dessa "gênio" da estupidez humana que falarão aos estudantes do Instituto Rio Branco, aos diplomatas do Itamaraty, aos convidados ao seminário a ser realizado em 10 de junho, falando, portanto, em nome do Brasil, ao Brasil e ao mundo.

Pergunto eu (PRA): quando deixaremos de sermos ridicularizados aos olhos do mundo?
Paulo Roberto de Almeida
São Paulo, 27 de maio de 2019

Nenhum comentário: