O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org.

quinta-feira, 11 de março de 2010

1778) Cuba: ainda o debate em torno dos dissidentes de um regime condenado...

Parece evidente, aos olhos de qualquer pessoa medianamente bem informada, que o regime comunista cubano constitui, ao lado de seu companheiro de ideologia e de sistema totalitário da Coréia do Norte, um cadáver ambulante, um mamute (magro, é verdade, com poucos pelos, mas ainda alguns dentes gastos) vagando numa paisagem desolada (a do socialismo real) e condenado ao desaparecimento inevitável, tão pronto seus líderes ensimesmados desapareçam da paisagem. São duas excrescências desumanas num mundo em que os piores totalitarismos estão em franca regressão e só sobrevivem na base da repressão direta, a mais cruel, desumana e estúpida repressão contra pessoas que gostariam, simplesmente, de viver normalmente num país normal, sem censura, sem penúrias, sem restrições às liberdades mais elementares.
Parece evidente, também, que qualquer pessoa medianamente bem informada, teria alguma dificuldade em defender regimes desse tipo, e os que fazem, ao custo de uma perda de credibilidade e até de respeito moral, só o fazem por uma espécie de conivência ultrapassada, e até reacionária, com ideologias que hoje já estão (aliás há muito tempo) na lata de lixo da história, ou no esgoto dos projetos fracassados e abandonados por absolutamente inviáveis e em contradição total com a dignidade humana. Ou então, e essa é a hipótese ainda mais inaceitável, os que assim procedem, o fazem por má fé, ou qualquer outra postura desprezível, pois não encontro motivos para a defesa de regimes tão deploráveis quanto esses.
Enfim, apenas uma introdução a mais duas notícias sobre o assunto do momento.

Direitos Humanos
Parlamento Europeu aprova resolução exigindo libertação imediata de presos políticos em Cuba e pedindo maior pressão sobre governo Castro

O Globo (com Agências internacionais), 11/03/2010

ESTRASBURGO, França - Ao aprovar formalmente a resolução que condena Cuba por sua falta de respeito aos direitos humanos, o Parlamento Europeu exigiu, nesta quinta-feira, a libertação imediata de todos os presos políticos na ilha, criticando a morte "desnecessária e cruel" do dissidente Orlando Zapata Tamayo, em 23 de fevereiro, e advertindo para o "estado alarmante" de outros prisioneiros. Os deputados europeus também pedem que os governantes da Europa aumentem a pressão sobre o regime Castro.

Leia também: Entidades de direitos humanos criticam declarações de Lula sobre presos cubanos; dissidentes se dizem decepcionados

A resolução foi aprovada por esmagadora maioria (509 votos a favor, 30 contra e 14 abstenções), contando com o apoio das grandes bancadas políticas, incluindo representantes dos conservadores e dos socialistas. O texto, objeto de consenso prévio entre os deputados, critica duramente a "ausência de quaisquer sinais significativos por parte das autoridades cubanas em resposta aos apelos da UE e da comunidade internacional em prol da libertação de todos os prisioneiros políticos e do pleno respeito pelos direitos e liberdades fundamentais".

Prisões vão contra Declaração Universal dos Direitos Humanos
A assembleia manifesta a sua preocupação pela situação dos prisioneiros políticos e dissidentes cubanos que declararam estar também em greve da fome na sequência da morte de Orlando Zapata, alertando especificamente para o "estado alarmante" em que se encontra o jornalista e psicólogo Guillermo Fariñas, "cuja persistência na greve da fome poderá ter um desenlace fatal". As críticas são um revés para as relações de Cuba com a Europa, no momento em que a Espanha, que ocupa a presidência semestral da União Europeia (UE), pretendia estreitar as relações entre o bloco e a ilha comunista.

O Parlamento lembra que as detenções são contrárias à Declaração Universal dos Direitos Humanos, e exorta a Alta Representante da UE para os Negócios Estrangeiros, Catherine Ashton, e a comissária responsável pela Cooperação, Kristalina Georgieva, a "iniciarem imediatamente um diálogo estruturado com a sociedade civil cubana e com aqueles que apoiam uma transição pacífica" na ilha. Em junho, o Parlamento Europeu revisará a chamada Posição Comum da UE, texto que vigora desde 1996 e que condiciona as relações de Bruxelas com Havana a mudanças no regime comunista da ilha.

Saiba mais:
Oposição diz que comentários do presidente sobre Cuba desqualificam o Brasil no cenário internacional

DIREITOS HUMANOS
Lula ainda não leu carta de dissidentes cubanos pedindo ajuda, diz porta-voz

Chico de Gois
O Globo, 11/03/2010

BRASÍLIA - O gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na quarta-feira a carta de dissidentes cubanos que lhe pediam ajuda, mas ainda não leu o documento, segundo informou o porta-voz Marcelo Baumbach. Cópia da carta, retirada de sites de direitos humanos na internet, foi protocolada pelo deputado Raul Jungmann (PPS-PE).

Lula, quando esteve em Cuba, no fim de fevereiro, disse que não havia recebido o documento e, por isso, se negou a interceder pelos prisioneiros de consciência cubanos, que pedem abertura democrática na ilha do Caribe. O presidente, na época, chegou a dizer que as pessoas precisavam parar com a "mania" de dizer que lhe haviam entregado cartas, mas que não entregavam de verdade.

O presidente brasileiro foi alvo de uma avalanche de críticas após uma entrevista em que ele defende o sistema judicial cubano e compara presos políticos a bandidos comuns. Dissidentes do regime comunista caribenho também reagiram com revolta.

Pressão europeia
Nesta quinta-feira, o Parlamento Europeu aprovou formalmente uma resolução que condena Cuba por sua falta de respeito aos direitos humanos , exigindo a libertação imediata de todos os presos políticos na ilha e criticando a morte "desnecessária e cruel" do dissidente Orlando Zapata Tamayo, em 23 de fevereiro. O documento adverte, ainda, para o "estado alarmante" de outros prisioneiros. Os deputados europeus também pedem que os governantes da Europa aumentem a pressão sobre o regime Castro.
Postar um comentário