O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

terça-feira, 20 de junho de 2006

496) Viva Samuel Morse, o antecessor dos blogs...

Leio na minha coluna do "This Day in History" que:

1840 Samuel Morse patents his telegraph

Eu creio haver postado, mais cedo neste ano, uma nota sobre a expedição do último telegrama pela Western Union, e o encerramento desta gloriosa fase da primeira internet da história.
A invenção de Morse (não a sua patente, que deve ter durando no máximo 15 ou 17 anos) aguentou firme por mais de um século e meio, mas de fato ela já vinha batendo pino desde que o telefone e o correio eletrônico fizeram suas respectivas entradas em cena (e, na verdade, os "telegramas" já eram transmitidos por telefone desde várias décadas).
Do Código Morse eu só cheguei a aprender os famosos três pontinhos, três longos sinais e três pontinhos dos sinais de SOS, mas sempre achei essa linguagem genial, tanto quanto a de surdos-mudos e o Braille.

Grandes invenções têm o poder de aguentar a passagem do tempo.
Agora que as autoridades penitenciárias estão proibindo sinais de celulares nos presídios, os criminosos e facínoras teriam interesse em conhecer o Código Morse, para ficar batucando de uma célula a outra até mandar alguma mensagem ao exterior.
Advogados criminosos (e parece que existem alguns) também vão precisar aprender Código Morse, mas não sei se a OAB vai oferecer esse curso.

Acho que a invenção de Morse não está de fato morta. Ela só está esperando, como o conde da Transilvânia...

Um comentário:

Vivian Cristina Müller disse...

Paulo, não dá idéia, faça o favor! (risos)