O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida;

Meu Twitter: https://twitter.com/PauloAlmeida53

Facebook: https://www.facebook.com/paulobooks

sábado, 23 de janeiro de 2021

Mini-reflexão sobre os intolerantes do fundamentalismo religioso - Paulo Roberto de Almeida

Mini-reflexão sobre os intolerantes do fundamentalismo religioso

Paulo Roberto de Almeida

Excomunhão – para católicos ignorantes, numa extensão vale também para cristãos, mas eles são muito diferentes entre si, como os muçulmanos, aliás – só vale para aqueles que seguem dogmas dessa religião. Querer impor sua crença religiosa a toda a humanidade, além de estúpido, é simplesmente ridículo. 

A humanidade já enfrentou morticínios e genocídios por intolerância religiosa. Parece que ainda tem muitos dessa tribo!

São os mesmos que promoveram as guerras de religião, o massacre dos huguenotes, a eliminação dos heréticos, a morte dos iconoclastas, o sacrifício dos considerados ímpios, a morte “legal” dos apóstatas, as conversões forçadas de “pagãos”, a expulsão dos judeus, em última instância o Holocausto!

Fundamentalismo, intolerância e autoritarismo andam de mãos dadas: sinal de que muitos ainda não se libertaram da barbárie das religiões sacrificiais. São os que procuram bodes expiatórios: não os encontrando, os psicopatas estão dispostos a tudo, inclusive suicídio coletivo como um Jim Jones ou como Hitler!

Brasília, 23/01/2021

Um comentário:

Unknown disse...

Do texto, o que se extrai de melhor é o título, pois se há uma reflexão que pode ser rotulada de mini, em todos os sentidos, é esta. Parabéns pelo título.