O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Mercosul: algum avanco nos ultimos dez anos? - um artigo de Paulo Roberto de Almeida de 2006

Mais ou menos dez anos atrás eu publicava mais um artigo (foram vários, nos anos anteriores) sobre o Mercosul, refazendo seu itinerário institucional e econômico,  listando seus problemas e sugerindo vias de superação de seus problemas mais evidentes.
Este foi o artigo publicado:


723. “Mercosul: uma revisão histórica e uma visão de futuro”, Meridiano 47 (n. 77, dezembro 2006; p. 7-17). Republicado In: Rubens A. Barbosa (organizador): Mercosul revisitado (São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2007, 80 p.; Coleção Cadernos da América Latina; p. 57-75); disponível na plataforma Academia.edu (link: https://www.academia.edu/5904128/1710_Mercosul_uma_revis%C3%A3o_hist%C3%B3rica_e_uma_vis%C3%A3o_de_futuro_2007_ ). Relação de Trabalhos n. 1710.

 Cabe ler novamente esse artigo, inclusive como forma de verificar se algum avanço ocorreu nesse período de dez anos. O que eu constato, na verdade, é um retrocesso notável do Mercosul, resultado das políticas equivocadas do lulopetismo no poder, com uma leniência inaceitável em relação a medidas anti-Mercosul adotadas tanto pela Argentina, e toleradas pelos governos esquizofrênicos do lulopetismo, quanto pelo próprio Brasil sob o governo companheiro.

As correções a serem feitas são inúmeras, mas não acredito que os governos atuais, mesmo inaugurando novas políticas setoriais, tenham coragem para empreender as mudanças que se impõem.
Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 5 de novembro de 2016

PS.: Cabe também referir que este ensaio foi incorporado ao meu livro: Paralelos com o Meridiano 47: Ensaios Longitudinais e de Ampla Latitude (Hartford: Edição do Autor, 2015).
 

Nenhum comentário: