O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida;

Meu Twitter: https://twitter.com/PauloAlmeida53

Facebook: https://www.facebook.com/paulobooks

domingo, 24 de março de 2019

“Quem procura osso é cachorro” - Bolsonaro, sobre os desaparecidos da ditadura militar

Famílias ainda estão buscando familiares desaparecidos, em última instância seus restos enterrados de forma clandestina pelos esbirros da ditadura militar. Comparar essa macabra, mas necessária missão, a cachorros procurando desenterrar ossos é uma suprema injúria contra essas famílias.
Até o presidente chileno, um homem da direita, mas digno, lamentou a declaração do presidente brasileiro.
Paulo Roberto de Almeida

Piñera: frases de Bolsonaro sobre a ditadura são tremendamente infelizes


Presidente Chileno lembrou cartaz de Bolsonaro
Declaração foi feita após visita do brasileiro
Sebastian Piñera, presidente do Chile, critica frases de Bolsonaro após visita do brasileiro ao país Marcos Corrêa/PR
24.mar.2019 (domingo) - 18h33

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, afirmou, neste domingo (24.mar.2019), que as frases do presidente Jair Bolsonaro sobre as ditaduras latino-americanas são infelizes. “São tremendamente infelizes. Não compartilho muito do que Bolsonaro diz sobre o tema”, disse Piñera.
Uma das frases definida por Piñera como infeliz é: Quem procura osso é cachorro. A expressão se refere à busca por desaparecidos na época da ditadura e estampava um cartaz pendurado na porta do gabinete de Bolsonaro quando ele era deputado. Lembrando do episódio, grupos de direitos humanos pediam que Bolsonaro deixasse o Chile.

Apesar de ter dito que não concorda com algumas frases de Bolsonaro, o presidente do Chile também o elogiou durante a visita do brasileiro ao país. Ele disse que há coincidências no modo dos dois líderes pensarem em “temas de modernização da economia e de recuperação de equilíbrios fiscais”.
Em sua estada no Chile, o presidente brasileiro enfrentou protestos de estudantes, organizações de direitos humanos e feministas. Ao chegar no Chile, Bolsonaro respondeu que manifestações assim existem onde quer que ele vá. “O importante é que, no meu país, fui eleito por milhares de brasileiros”, afirmou.

PROSUL

Segundo Piñera, o bloco Prosul criado na última 6ª feira (22.mar) como contraponto à Unasul, não agrupa países de direita. “Não estamos agrupando a direita, e sim os países democráticos”, afirmou.
O Uruguai e a Bolívia optaram por não assinar a declaração conjunta. O presidente do Chile reforçou, na fala deste domingo, que ambos os países seguem convidados a entrar para o bloco mais adiante.
A Venezuela ainda não está convidada, “por não cumprir com o requisito de ser um país democrático e com respeito aos direitos humanos”, disse.

Nenhum comentário: