O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Diplomacia Bolsonarista: mais uma paulada na Diplomacia Brasileira (que já não existe mais)

Falar de diplomacia brasileira, atualmente, é falar de algo inexistente. Ela não mais existe.
Existe uma coisa insossa, chamada  "diplomacia olavo-bolsonarista", horrível em todos os sentidos da palavra. Até quando dura? Não sabemos.
Um dia voltaremos aos padrões tradicionais...
Paulo Roberto de Almeida

Entenda embargo americano a Cuba, alvo de mudança histórica na diplomacia brasileira

Pela 1ª vez em 27 anos, Brasil não condena restrições impostas pelos EUA à ilha

Pela primeira vez em 27 anos, o Brasil cedeu às pressões dos EUA e votou contra a resolução anual da ONU que condena o embargo econômico americano a Cuba. Apenas Israel e Estados Unidos votaram da mesma maneira que o Brasil. Entenda o que é o embargo.
Quando começou?
Os EUA impuseram sanções econômicas a Cuba em 1960, cerca de um ano depois de a Revolução Cubana de Fidel Castro ser bem sucedida e ele assumir o poder.
A medida foi uma resposta à estatização de empresas e propriedades americanas. As relações diplomáticas foram rompidas.
Qual o efeito das sanções na economia cubana?
Em 2018, a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe da ONU confirmou a estimativa do regime cubano de que o embargo já tinha custado US$ 130 milhões nos últimos 60 anos.
Como o embargo afeta a vida dos americanos?
Washington não emite vistos de turismo para a ilha. Qualquer pessoa partindo dos EUA em direção a Cuba deve pedir autorização ao Departamento do Tesouro.
Cartões de crédito e débito emitidos nos EUA raramente são aceitos.
E a dos cubanos?
O turismo é uma das principais atividades econômicas do país, mas o embargo e as restrições de viagem prejudicam o mercado.
As sanções também limitam o fluxo de dinheiro de cubanos vivendo no exterior, importante fonte de renda para a população.
Há escassez de alguns produtos básicos, incluindo alimentos, e o governo impõe racionamento.
Cubanos podem viajar aos EUA desde que obtenham um visto.
Como Obama se aproximou do regime cubano?
O então presidente restabeleceu relações diplomáticas, autorizou empréstimos de empresas americanas às cubanas da área de infraestrutura e permitiu que a ilha exportasse alguns produtos para os EUA.
O que mudou no governo Trump?
No início de junho deste ano, os EUA expandiram as restrições a viagens de americanos à ilha.
O governo pôs fim aos vistos de cinco anos para cubanos, que agora têm de pedi uma autorização para cada viagem.
Transações financeiras com entidades ligadas às Forças Armadas cubanas foram restringidas.

Nenhum comentário: