O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

sábado, 28 de agosto de 2010

Petrobras e pre-sal: algumas acusacoes

Não sou responsável pelas acusações abaixo, e as transcrevo com o mesmo espírito com que transcrevi o artigo postado abaixo sobre o pré-sal. Informação e discussão de um assunto público relevante.
Não conheço seu autor, mas o material me foi encaminhado por pessoa de confiança.
Acredito que cabe à companhia responder às acusações, que, por serem de natureza política, não são menos reais e tocam em problemas concretos.
Paulo Roberto de Almeida

Petrobras à Deriva
Anônimo
26 de agosto de 2010

Aparelhada pelos petistas de alto a baixo, a dívida líquida da mega empresa preocupa os especialistas, e o governo pretende capitalizá-la oferecendo barris de óleo do pré-sal, cuja extração está longe de ser viabilizada e cujo preço unitário é completamente desconhecido.

Temeroso do futuro da petrolífera brasileira, o maior investidor do mundo, vendeu todas as ações da empresa. Os papeis comuns da Petrobras representavam a maior participação de uma única empresa no fundo de Soros e valiam 405 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2010. O fundo de Soros já foi o maior investidor privado individual na Petrobras. Do início do ano até ontem, as ações preferenciais da Petrobras desvalorizaram 23%.

DESMONTANDO A PETROBRAS - O uso irresponsável da estatal para fins políticos, pelo governo Lula, abrigando companheiros sem qualificação, em postos chaves da petrolífera, numa gestão, considerada pelos investidores como temerária, acabaram por desacreditar um dos maiores patrimônios brasileiros

As incertezas sobre a capitalização da Petrobras levaram o bilionário americano George Soros a se desfazer de todas as suas ações da estatal brasileira. Em relatório enviado à Securities and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários americana), o Soros Fund Management declarou que em 30 de junho não tinha mais nenhum papel da companhia em sua carteira.

O fundo de Soros já foi o maior investidor privado individual na Petrobras, mas vinha reduzindo sua participação desde o início do ano. Em dezembro, tinha 36,8 milhões de ações da estatal, por meio de American Depositary Receipts (ADRs), o equivalente a 1,45% no capital social da companhia. No balanço entregue à SEC, em março, estava com 14,9 milhões de ações, o equivalente a 0,17% do capital social.

A empresa era tida também como maior aposta do fundo comandado pelo megainvestidor, diante da potencial valorização após a descoberta do pré-sal. Desde o início do ano, porém, as ações da Petrobras acumulam queda de mais de 23%, por causa de dúvidas no mercado sobre a capitalização. Na semana passada, o banco UBS rebaixou os papéis da empresa, recomendando a investidores que os vendam.
George Soros livrou-se das ações da Petrobras

PULANDO FORA - George Soros não acredita mais no futuro da Petrobras
O húngaro George Soros(foto), hoje radicado nos Estados Unidos, ficou conhecido na década de 90 pelas suas atividades enquanto especulador, e chegou a ganhar US$ 1 bilhão em um único dia apostando contra o Banco Central da Inglaterra.

Nos Estados Unidos, ficou famoso por ter doado montantes elevados para tentar que o presidente George W. Bush não fosse reeleito.
George Soros, anunciou em dezembro, que vai investir US$ 1 bilhão do seu próprio dinheiro em tecnologia de energias limpas, a fim de combater as mudanças climáticas, informou o jornal britânico "The Guardian".
Ele também vai criar uma organização para táticas sobre emissões, que vai receber um investimento anual de US$ 10 milhões nos próximos dez anos.
Apesar do porta voz da Soros Fund Management, ter se negado a comentar o assunto, para não afundar ainda mais a empresa, o sinal que o investidor está nos mandando é que a, desastrada gestão política, está pondo em risco, a maior empresa estatal do país e a quarta maior petrolífera de capital aberto do mundo.

SÍMBOLO DA NOVA PETROBRAS - O navio plataforma P-33 exibe claros sinais de corrosões, foi interditada por oferecer sérios riscos de Segurança

A deterioração da Petrobras ocorre a olhos vistos. Enquanto busca bilhões no mercado para se capitalizar, e empreender a aventura do pré-sal, as notícias sobre ela, são cada vez mais preocupantes. O jornal Valor econômico, noticiou que o nível de endividamento da Petrobras está muito perto do limite de 35% auto imposto pela companhia. Ao fim do segundo trimestre deste ano, o indicador ficou em 34,74%, conforme os dados de dívida líquida e patrimônio líquido divulgados pela estatal.

As agências de classificação de risco já disseram que o índice de 35% não é mágico. Mas os principais executivos da Petrobras usaram esse limite diversas vezes para defender a urgência da capitalização da empresa, prevista agora para setembro. O argumento é que a nota de crédito da companhia ficaria ameaçada caso essa barreira seja rompida.

Em menos de um mês, três plataformas da Petrobras instaladas na Bacia de Campos, no norte do estado do Rio de Janeiro, apresentaram problemas. O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense informou nesta quarta que a plataforma P-31, no Campo de Albacora, tem falhas de segurança e de conservação, o que colocaria em risco a vida dos petroleiros que trabalham na unidade.

Na semana passada, a plataforma P-33 foi interditada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a P-35 sofreu um princípio de incêndio.

Depois de denunciar o estado de má conservação da P-31, o diretor de comunicação do Sindipetro NF, Marcos Breda, afirmou que a intenção é dar segurança aos trabalhadores e revelou que o sindicato quer a interdição da unidade.

“Há vários problemas na P-31, inclusive nas tubulações de óleo e gás, que precisam de reparos definitivos e não provisórios. Temos uma série de denúncias sobre a deterioração dos equipamentos também. O caso é semelhante ao da P-33. Além disso, existe a possibilidade de interdição da plataforma, pois o pedido do sindicato foi nesse sentido.”

Nesta segunda-feira, 12 plataformas da Petrobras aderiram à operação padrão de segurança “Chega de Contar com a Sorte”, promovido pelo Sindipetro do norte fluminense. Durante a operação, os trabalhadores fazem todos os procedimentos de segurança, antes de qualquer atividade na empresa.

3 comentários:

Anônimo disse...

Paulo Roberto, muito bom o que você postou aqui. Desde que saiu a notícia da exploração da camada chamada 'pré-sal', pra mim, foi óbvio que o Brasil tinha acabado de entrar em uma contramão energética. O futuro é das energias renováveis, para qualquer um que tenha um pouco de senso crítico.
O 'pré-sal' é mais uma mentira que faz parte do 'marketing' deste governo corrupto e que está, aos poucos implantando uma ditadura civil, que desde o dia 2 de janeiro de 2002 quando o 'lulla' já estava eleito e seus comparsas no congresso começaram a 'comprar' e 'chantagear' outros parlamentares.
O governo do 'PT' enganou o povo brasileiro com isso do 'biodiesel', dizendo que era uma revolução e coisa e tal. As 'vantagens' do 'biodiesel' seriam a independência tecnológica e a menor emissão de gases poluentes, o que é uma meia verdade pois o único emissor que baixa efetivamente é o enxofre, em uma proporção mínima. Na prática, as fazendas de 'biodiesel' (por exemplo, no estado do Piauí), além de mal administradas, além de usar trabalho infantil, além de pagar a metade de um salário pra uma família inteira, ainda usava de trabalho escravo, coisa que foi investigada e desvendada pelo ministério público e polícia federal (o 'biodiesel' no Piauí faliu - a fazenda era da PETROBRÁS). O 'biodiesel' não vai funcionar para nos independizar e propulsionar, do mesmo jeito que o 'etanol', pois a 'indústria' do petróleo nunca vai deixar. O futuro não é do 'pré-sal', o futuro é das energias solar, eólica, elétrica e, muito provavelmente, da conversão do hidrogênio.
'Pré-sal' é só enrolação, engodo, mentira, é só um jeito de continuar sacando dinheiro dos cofres públicos. O que a PETROBRÁS faz é só receber empréstimos bilionários... pra quê?

Anônimo disse...

Olá, de novo.
Só uma correção no meu comentário sobre o 'pré-sal'...
O governo 'lulla' entrou em 2003, não em 2002 como eu digitei.
Abraço.

Paulo R. de Almeida disse...

Caro z4lt3g0m,
O assunto é complexo, sem dúvida. Este governo vive de propaganda, de demagogia e, pior, de mentiras.
A Petrobras vai sobreviver, obviamente. Quando voce coloca um monte de dinheiro publico em cima, qualquer negócio apresenta resultados durante certo tempo. Afinal de contas, a Petrobras vem sendo mal administrada a muito tempo, mas dispoe de uma posicao monopolista que lhe permite, com a ajuda do governo, cobrar uma das gasolinas mais caras do mundo. Ou seja, nos estamos alimentando a má administracao deles com nossos reabastecimentos. A PDVSA na Venezuela ja teria fechado em circunstancias normais, mas o governo de Chavez ainda a usa para todo tipo de manipulacao de mercado, pois o petroleo permite esse tipo de coisa. Basta ver a situacao da Nigeria, o pais mais corrupto do mundo, e que ainda "gira" com base no "ouro negro".
A situacao do biodiesel de mamona é mais uma das manifestações de incompetência desse governo, que obrigou a Petrobras a entrar num negocio claramente inviavel.
Varias politicas de governo sao conduzidas com a mesma ignorancia fundamental.
A sociedade não tem ideia, simplesmente, de quanto dinheiro vem sendo desperdiçado neste governo. Lamentável a todos os títulos.
Paulo Roberto de Almeida