O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

Mostrando postagens com marcador manifestações a favor. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador manifestações a favor. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Paulo R. Almeida: porta-voz involuntario dos descontentes do Itamaraty

Após ter realizado o último evento de 2018, o lançamento da obra em dois volumes dos artigos e entrevistas mais importantes do ex-chanceler Celso Lafer, em quatro décadas, informado aqui: 
    https://diplomatizzando.blogspot.com/2018/12/a-casa-de-rio-branco-recebe-celso-lafer.html 
aqui: https://diplomatizzando.blogspot.com/2018/12/livro-de-celso-lafer-disponivel-na.html
e aqui: https://diplomatizzando.blogspot.com/2018/12/celso-lafer-de-volta-ao-itamaraty-pedro.html 
elaborei um relatório sintetizando tudo o que eu havia feito no IPRI desde o dia 3/08/2016, quando oficializou-se a minha designação como seu diretor, disponível aqui: 
      https://diplomatizzando.blogspot.com/2018/12/ipri-meu-relatorio-de-atividades-2016.html
e considerava que o essencial do meu trabalho estava feito, pronto, digamos assim, para partir para novas aventuras diplomáticas.
A despeito de eu estar quieto no meu canto, programando novos eventos para realizar no IPRI durante todo o ano, fui ordenado (é a palavra) desde o início do ano, a NÃO FAZER NADA, o que me pareceu surpreendente. Pela primeira vez em 40 anos de trabalho diplomático, eu estava sendo impedido de trabalhar.
Já se tratava, digamos assim, de minha substituição, ainda que não anunciada.
Mas ela acabou vindo, numa manhã chuvosa de Carnaval.
Depois disso, creio que todos tomaram conhecimento de minha exoneração, e de minha tomada de posição a respeito do que ocorre atualmente na diplomacia brasileira.
Ou seja, eu estava reduzindo ao silêncio, a não ser por esta janela para o mundo, que eu designo como sendo o meu "quilombo de resistência intelectual".
 Pouco depois de minha exoneração, um colega me escreveu para dizer que eu estava atuando como o porta-voz dos silenciados, pela atitude arbitrária do chanceler acidental.
Poucos dias atrás chegou-me a mensagem que reproduzo abaixo, pois pedi autorização de seu autor para transcrevê-la em meu blog, este aqui, pois imagino que ela expresse o que vários outros colegas pensam, sem que eles possam manifestar tal pensamento de público.

Transcrevo: 
Prezado Professor/Embaixador/Colega... estou para lhe escrever faz tempo, somente para lhe dizer que você conta com uma legião de colegas que lêem, comentam e aplaudem os seus posts, sem, no entanto, ousarem sequer clicar em um "like". Nem todos - ou muito poucos- têm a sua coragem, mas receba o meu - e de muitos amigos meus - agradecimento por ser uma voz destemida em defesa da razão.

Parece que me converti, involuntariamente, em porta-voz de muitos colegas, o que me dá certa responsabilidade. 
Mas eu faria exatamente mesma coisa sendo apenas uma única voz solitária no deserto.

Depois de postar esse comentário enviado em canal pessoal na minha página do FB, recebi algumas outras mensagens: 

Thales Valente Professor, alunos ao redor do Brasil inteiro acompanham suas postagens e apreciam seu posicionamento. Eu, por exemplo, sou do RS e sou graduando em Relações Internacionais pela Unisinos e meus colegas, veteranos e bixos acompanham o senhor também.
Forte abraço!


Wagner Pontes Ribeiro Professor, sei da sua importância junto ao Itamaraty, da sua carreira ilibada e competente, até porque fui um grande amigo do ex chanceler Dr Ramiro Saraiva Guereiro, e falávamos muito do quadro desta instituição.! Mas gostaria de vê-lo, falando um pouco mais sobre as questões políticas de fato. .! Seria engrandecedor para o seu público variado e fidedigno..!
Abs. !


Rodrigo Boa Ventura Olha, passei por situação similar em 2016. Sou professor do ensino médio no Rio e na greve de 2016 ( com ocupações de escolas etc..) apontei que a crise fiscal arrastaria o Rio para o seu pior momento em um século, que a união PT/ PMDB era a responsáveVer mais

Rosa Guerreiro Você tem admiradores. Acho o cúmulo que essa admiração não se faça publica, como se os coleguinhas temessem algum tipo de retaliação do caramujo e da sua tribo de ignorantes!!!

Gustavo Maia Gomes Notícia importante; solidariedade mais do que merecida.


Samuel Feldberg Bravo!!!


A vida continua...
Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 15 de abril de 2019


Addendum, em 16 de abril: 

Agrego mais um depoimento recebido esta manhã: 

"Sou aluno de Graduação do curso de Direito da FND-UFRJ, tenho grande interesse em Direito Internacional e o objetivo de um dia me tornar Diplomata. Permita-me dizer que tomo a sua carreira como fonte de inspiração e que subscrevo e me sinto representado por suas ideias e perspectivas! E ainda mais, acredito que em um Governo realmente Liberal em todos os aspectos, amigo do saber e do intelecto, a favor de debates acadêmicos, compromissado com uma política externa altiva, o senhor jamais seria retirado do cargo que ocupou. Pelo contrário, seu nome seria um dos cogitados para a chefia da Política Externa brasileira, e falo isso, apesar do modesto conhecimento que tenho na área, afinal ainda tenho muito a aprender e estudar, com plena convicção. Ser removido da presidência do instituto de pesquisa do Itamaraty é motivo de vergonha pro Ernesto Araújo e pra Bolsonaro, e orgulho pro senhor! 
Obrigado por defender as ideias que defende, o senhor não tem a dimensão do quanto isso é importante nesse momento.
Grande parte do movimento liberal acadêmico aqui do RJ está contigo, conte com o nosso apoio!
Grande Abraço!”
Leonardo Fernandes de Sá
Rio de Janeiro, RJ

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A cidadania, a democracia e a manifestação de 26 de marco - Augusto de Franco

DAGOBAH
Augusto de Franco - NL 0041 - 16/02/2017

Dagobah.com.br

Está sendo convocada uma manifestação nacional para o dia 26 de março de 2017. Essa manifestação faz sentido porque há uma insatisfação geral com um velho sistema político que apodreceu. Não é apenas uma insatisfação com a demora na punição do chefe da organização criminosa que comandou o governo que sofreu impeachment em 2016. Nem é somente uma insatisfação com o governo Temer que o sucedeu por força do que reza a Constituição. É uma insatisfação com o sistema como um todo, do modo como está organizado e funciona. A situação atual lembra mais a de 2013 do que a de 2015 e 2016. Em 2013 também havia uma insatisfação com o sistema como um todo – não com o governo do PT em particular – sintetizada pelos cartazes dos manifestantes de junho:

“Vocês não nos representam” 

Por mais que o governo Temer seja refém da mesma base fisiológica que sustentou, durante uma década, o PT no governo, o presidente da República, em particular, não teve tempo de cometer, no exercício do seu mandato, tantos desatinos que justificassem uma ira popular contra sua permanência no cargo. A não ser para o PT, que inventou a falsa narrativa de que o impeachment foi golpe e quer se vingar daquele que ele mesmo escolheu para ser vice de Dilma, aproveitando a oportunidade de baixa popularidade de Temer para instaurar um clima de caos que possibilite sua volta ao poder em 2018, reconduzindo Lula à presidência como uma espécie de redentor, nos braços do povo. E também para a direita que – capitaneando a ingenuidade dos moralistas e analfabetos democráticos – gostaria de varrer o país, limpar a política, separar definitivamente os maus dos bons por meios autoritários e anticonstitucionais.

O fato é que grupos antidemocráticos, de esquerda e de direita, estão querendo pautar a manifestação convocada para 26/03/2017. A esquerda quer enfiar o Fora Temer, Contra as reformas da Previdência e Trabalhista, Contra a privatização da Cedae e outras maluquices. A direita, por sua vez, quer enfiar suas sandices de sempre, como Intervenção militar, Fim do estatuto do desarmamento e sabe-se lá mais o quê.

Para os democratas, as únicas coisas razoáveis neste momento são: Apoio à Lava Jato e Fim do foro privilegiado. Sim, é preciso apoiar a Lava Jato, não porque ela esteja sendo vítima de uma conspiração de cinema, mas de uma coalizão tácita de interesses de sobrevivência dos velhos atores políticos que compõem a base fisiológica do governo Temer e que já compunham a base fisiológica do PT. Renan, Sarney, Collor, Eunício, Jader, Jucá, Moreira Franco e tantos e tantos outros não apareceram agora no cenário político, nem eram da base da oposição ao governo do PT. Eles pertenciam ao governo que foi deposto, não apenas no Legislativo, mas também no Executivo: vários, inclusive, foram ministros de Lula e Dilma. Ora, esses velhos atores têm aguçado instinto de sobrevivência e zero de vocação para o suicídio.

Igualmente é preciso pedir o fim do foro privilegiado porque ele assegura, na prática, a impunidade dos parlamentares e governantes que cometeram crimes.

As tentativas de barrar ou domesticar a Lava Jato e de manter a impunidade dos que estão sendo investigados revoltam a população e contribuem, diretamente, para aumentar a insatisfação das pessoas com o velho sistema político.

Sem as ruas, muito provavelmente, a Lava Jato será desidratada. É inevitável que um sistema político que apodreceu tente se proteger da Lava Jato. Se as pessoas não saírem às ruas novamente, parece obvio que tudo tende a se acomodar nos tribunais superiores, mais uma vez em nome da governabilidade. Choverão recursos sobre recursos e os julgamentos finais vão ficar para muito depois de 2018. Boa parte dos processos prescreverão. Por isso é tão importante sair às ruas em 26 de março de 2017.

É claro que há muito mais do que isso. A crise do velho sistema político é, no fundo, a crise da forma Estado-nação e do seu padrão de relação com a sociedade. Há uma crise do modelo representativo, vulnerável ao discurso inverídico e ao uso da democracia (notadamente das eleições) contra a própria democracia. Por isso as pessoas dizem – e se não dizem, pensam: vocês não nos representam. E o fato das instituições do Estado de direito estarem funcionando não é garantia alguma de que elas funcionarão de acordo com o que as pessoas consideram ser justo. A estrutura e a dinâmica das instituições que temos não estão sintonizadas com o que queremos. Daí decorre muita coisa a ser modificada. Uma pauta para corrigir todos os problemas decorrentes da inadequação dos sistemas atuais de governança às aspirações da sociedade seria quilométrica. Não pode servir de convocação para uma manifestação.

Na verdade, porém, as pautas formuladas por grupos ideológicos que convocam manifestações não são tão importantes quanto se pensa. Se a manifestação adquirir a dinâmica de um enxameamento – independentemente do que querem ou pensem os grupos organizados no seu interior – seu efeito será sentido pela sociedade e pelo Estado. Se acontecer um swarming – como vimos em junho de 2013, em março, abril e agosto de 2015 e em março de 2016 – é sinal de que a manifestação se descolou completamente das intenções particulares dos grupos que tomaram a iniciativa de convocá-la. Se não acontecer tal fenômeno, ela terá pouca influência no comportamento dos atores.

Uma manifestação de alta interatividade – capaz de constelar multidões – é sempre convocada de modo distribuído, por iniciativa de miríades de pessoas, agrupadas ou não em torno de uma pauta (ainda que possam existir vários grupos querendo convocá-la centralizadamente). Por isso ela quase sempre expressa sentimentos, programas e plataformas difusos. É impossível evitar que, entre as pessoas que a convocam, por iniciativa própria, sem pedir autorização a ninguém, existam as que têm as propostas mais descabidas do ponto de vista da democracia. Na concentração da praça Maidan, em Kiev, no final de 2013 e início de 2014, havia de tudo, de neonazistas a anarquistas. O sentido geral do movimento, entretanto, foi o da liberdade (contra a dominação da ditadura de Putin sobre a Ucrânia).

Então o importante mesmo é o que se configura a partir da interação. A verdadeira pauta é um resultado, não uma intenção prévia. Temos 40 dias para observar o bamboleio dos fluxos interativos. E, mesmo assim, tudo dependerá mais do que ocorrer no próprio dia 26 de março do que das tentativas anteriores de direcionar o fluxo.

Uma coisa – e é a mais importante – não se pode negar: há uma insatisfação geral com um sistema político que, além de estar defasado da sociedade atual, apodreceu. Vamos ver até que ponto isso será suficiente para ensejar a manifestação de um fenômeno interativo de grandes proporções. Querer canalizar essa insatisfação para a realização de pautas particulares, pegando uma carona no sofrimento das pessoas, não é apenas errado de um ponto de vista ético-político (posto que revela uma tentativa de instrumentalização): é inútil.

Durante o período que antecede a manifestação, entretanto, há uma disputa política pelo seu sentido. E o sentido deve ser o da transição democrática pós-PT (que ficou perigosamente inconclusa). Os democratas devem interagir nesse processo, para garantir que ele não seja conduzido por ideias autocráticas, sejam de esquerda ou de direita.
Augusto de Franco
ESTE ARTIGO É PARTE DE UMA ANÁLISE PROFUNDA DISPONÍVEL AOS ASSINANTES. PARA RECEBER O ARTIGO COMPLETO E OS COMENTÁRIOS DE AUGUSTO DE FRANCO EM VÍDEO, 
ASSINE DAGOBAH - INTELIGÊNCIA DEMOCRÁTICA
.

sábado, 12 de março de 2016

Lideres estrangeiros (manipulados pelo Instituto Lula) hipotecam solidariedade ao ladrao de faqueiro

Vou transcrever por inteiro o manifesto e os nomes dos tais líderes estrangeiros que, devidamente manipulados pelo Instituto Lula, perpetraram a vergonha de hipotecar solidariedade a um mero ladrão de faqueiro, como alguém classificou o homem que raspou metade do patrimônio da PR levando para casa, fraudulentamente, objetos que não lhe pertenciam.
Mas o tal "grande líder brasileiro" fez muito mais e possivelmente os "líderes estrangeiros" não estejam bem informados sobre a obra nefasta do chefe de quadrilha, o homem que começou a destruir a economia do Brasil -- sim com gastos estatais sempre acima do crescimento do PIB e da própria arrecadação, com programas populistas e demagógicos, e não só para os pobres, mas principalmente para os ricos, seus amigos, que retribuiram seus favores com milhões em dinheiro e em bens --, o homem que desmantelou as instituições, desrespeitando sistematicamente as leis, o homem que simplesmente retrocedeu o país no plano cultural e educacional.
Não existe nenhuma "tentativa de 'destruir a imagem' dele" por parte dos membros do MPF e da PF porque essa imagem já foi destruída pelo próprio homem que esses "líderes estrangeiros" pretendem defender, por ele mesmo e por todos os seus asseclas que tomaram de assalto como abutres e ratazanas todas as instâncias do Estado, e se dedicaram a um saque completo dos ativos do povo brasileiro.
Esses "líderes estrangeiros" ou estão mal informados, ou foram manipulados pelo Instituto Lula, ou são de má fé, e portanto merecem nosso repúdio, como bobos que são, na melhor hipótese, como inocentes úteis numa outra hipótese benigna, ou como coniventes, na hipótese menos favorável.
Faço questão de transcrever essa mensagem aqui, pois ela é mais uma prova do lado nefasto, criminoso e perigoso do personagem em questão, e dos seus asseclas, que a todo momento mobilizam os imensos recursos de que dispõem (todos roubados do povo brasileiro) para usar em benefício do, atenção que vou escrever o que penso agora, MAIOR MAFIOSO POLÍTICO DE TODOS OS TEMPOS EM QUALQUER LUGAR.
Acho que fui claro.
Como sempre, assino embaixo.
Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 12 de março de 2016

Líderes estrangeiros manifestam apoio a Lula

Dezesseis políticos da América Latina e da Europa subscreveram uma nota que condena a tentativa de “destruir a imagem” do ex-presidente. Para eles, petista tirou milhões de pessoas da pobreza e miséria
Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Mujica foi um dos signatários da carta de apoio ao ex-presidente Lula
Líderes estrangeiros divulgaram nesta sexta-feira (11) uma nota de apoio ao ex-presidente Lula. O documento, assinado por 16 políticos diferentes, diz que o petista não se considera acima das leis e, por isso, preocupa a tentativa de “destruir a imagem” dele. Para o grupo, formado por pessoas como a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner e os ex-presidentes do Paraguai Fernando Lugo e do Uruguai José Mujica. A declaração foi distribuída pelo Instituto Lula. A nota veio na esteira do pedido de prisão preventiva apresentado pelo Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente. Ele, junto com outras 15 pessoas foi denunciada por diferentes crimes no caso do triplex no edifício Solaris, no Guarujá. Na mesma ação, os promotores responsáveis pelo inquérito também pediram a medida restritiva de liberdade contra o petista.
Leia a íntegra:
DECLARAÇÃO
Durante várias décadas, Luiz Inácio Lula da Silva destacou-se como sindicalista, lutador social, criador e dirigente do Partido dos Trabalhadores.

Eleito Presidente da República, em 2002, Lula levou adiante um ambicioso programa de mudança social no Brasil, que tirou da pobreza e da miséria milhões de homens e mulheres. Sua política econômica permitiu a criação de milhões de empregos e uma extraordinária elevação da renda dos trabalhadores.

Seu Governo aprofundou a democracia, estimulando a diversidade política e cultural do país, a transparência do Estado e da vida pública. O Executivo, o Ministério Público e o Poder Judiciário puderam realizar investigações de atos de corrupção eventualmente ocorridos na administração direta ou indireta do Estado.

Preocupa à opinião democrática, no entanto, a tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro.

Lula não se considera nem está acima das leis. Mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques a sua integridade pessoal.

Estamos com ele e seguros de que a verdade prevalecerá.

Cristina Fernández de Kirchner (Argentina)
Eduardo Duhalde (Argentina)
Carlos Mesa (Bolívia)
Ricardo Lagos (Chile)
Ernesto Samper (Colômbia)
Maurício Funes (El Salvador)
Felipe González (Espanha)
Manuel Zelaya (Honduras)
Álvaro Colón (Guatemala)
Massímo D’Alema (Itália)
Martín Torrijos (Panamá)
Nicanor Duarte (Paraguai)
Fernando Lugo (Paraguai)
Leonel Fernández (República Dominicana)
José Mujica (Uruguai)
José Miguel Insulza (OEA)

Membros do MP criticam pedido de prisão de Lula

Mais sobre a Operação Lava Jato
Mais sobre Lula

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Pausa para... grandes projetos para o bem da humanidade...

Lei torna amendoim cozido patrimônio imaterial de Sergipe

Plenário da Câmara dos Deputados registrou a aprovação de lei estadual de Sergipe que reconhece o amendoim cozido como patrimônio imaterial do estado.
“A nova Lei contempla tanto a preservação de um bem cultural típico e exclusivo do estado como reforça a importância do produto para o comércio local”.

Atualmente, Sergipe possui mais de 5 mil vendedores autônomos de amendoim verde cozido, que, diariamente, produzem e comercializam cerca de 84 toneladas do alimento. Isso faz com que Sergipe seja exportador do produto para outros estados, como Bahia e São Paulo.
 “Ao dar visibilidade a um alimento que é único da cultura sergipana, a Lei 7.682 ajuda a manter viva a memória e a cultura”.

O amendoim cozido é o alimento mais consumido nas festas sergipanas, nas praias e bares, e ocupa um relevante lugar na preferência popular, e traduz com singularidade a raiz cultural, tradições e costumes do povo sergipano.

“Quem é de Sergipe sabe que o amendoim cozido faz parte das tradições do estado,.. e... é importante valorizar as tradições culturais de um povo e, principalmente, exaltar a importância desse alimento que faz parte da sergipanidade”.

sábado, 13 de julho de 2013

Pelegos pagam mercenarios para engrossar sua pifia e ridicula grevepolitica...

Da coluna do jornalista gaúcho Políbio Braga, 12/07/2013:

Manifestantes' ganham até R$ 70 para ir a ato sindical em São Paulo

CLIQUE AQUI para ouvir a CBN. A repórter conta de que modo o dinheiro saiu para os manifestantes terceirizados. O lumpesinato nunca esteve tão ativo no Brasil.

Numa rua atrás do Masp, um grupo de 80 pessoas com camisetas da UGT (União Geral dos Trabalhadores) espera em fila a vez de preencher um papel. Trata-se do recibo de que ganharão R$ 70 por terem participado, vestidos como militantes, do ato de ontem na avenida Paulista, em São Paulo. O jornal Folha de São Paulo presenciou a entrega do recibo, que se deu por volta das 15h, quando a manifestação acabou. Mulheres de 30 e 40 anos e rapazes com aparência de pós-adolescentes entregavam uma pulseira numerada que usaram na manifestação a um homem de agasalho, que perguntava o nome da pessoa, preenchia o recibo e o entregava aos presentes.


No documento, consta que o pagamento é uma ajuda de custo para alimentação e transporte. Na parte de cima do papel, há impressa a data e o nome da manifestação: "11 de julho - Dia de Luta". Na fila, as pessoas confirmaram que não tinham relação com sindicatos filiados à UGT e que foram ao ato apenas para receber os R$ 70. Com medo de represálias, não quiseram dar o nome.
Anônimo disse...
Sr Políbio Braga:

Foi um grande fiasco das centrais sindicais,comparando com as manifestações populares,que pedem acima de tudo
FIM DA CORRUPÇÃO
FIM DA ROUBALHEIRA
O povo percebeu que se diminuirmos em 20%a roubalheira e a corrupção, sobrara dinheiro para as "periferia atuantes"
Como pode pessoas de bem desfilar ao lado de paulinho,não somos,o nove dedos,que abraça maluf,sarney.renam,joão alves,barbalho,a lista é longa.
É triste ver sindicalistas com cara de bandidos,no sindicato dos motoristas de SP houve troca de tiros e rajada de metralhadoras,isso mostra que a boquinha é boa.
Roubam de mim e de todos os trabalhadores,um dia de trabalho por ano.
Não prestam contas pelo uso da verba desse roubo,o nove dedos decretou o roubo oficializado,É a festa na laje.
Agosto está aí,vamos ver o que vai dar......
As esquerdas se mostram tão iguais
ou mais corrupta que as direitas e nós povo somos roubados pela direita e esquerda.

Saudações
Anônimo disse...
Essa é a prova definitiva do quão nefasta é a contribuição sindical obrigatória descontada de todos os trabalhadores : é o nosso dinheiro financiando atividades ideológicas.

E o pior : essa chinelagem sindical não tem obrigação alguma de prestar contas !!!

Isso só acontece mesmo em republiquetas bananeiras ...
Anônimo disse...
E quanto será que eles pagam por um voto?
Anônimo disse...
MESMA RECEITA USADA PELA PETEZADA E SEUS MILITANTES DE PLANTÃO NAS ELEIÇÕES ANTERIORES.

COMO PARTE DOS MILITANTES DO PT ESTAVAM INSATISFEITOS COM OS RUMOS POLÍTICOS DO PARTIDO, MUITOS SE AFASTARAM E DEIXARAM DE PARTICIPAR DAS PASSEATAS.
COM A MILITÂNCIA ENFRAQUECIDA E EM MENOR NÚMERO, A PETEZADA SE ALIOU E EM CONJUNTO ENCHIAM OS CAMINHÕES E ÔNIBUS E IAM DE MUNICÍPIO EM MUNICÍPIO SOMAR NAS PASSEATAS BALANÇANDO SUAS BANDEIROLAS COM FERVOR E GRITOS DE GUERRA PARTIDÁRIO.

PESSOAL QUE SE DIZIA DO PT, RECEBIA LANCHE E UNS TROCADOS.

FOI ASSIM NA TAL "ROTA DAS ESTRELAS" NH-POA E PELO BRASIL A FORA.

ANTES ERA ABAFADO, AGORA ESTÁ DIVULGADO, POR QUE SERÁ??

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Sobre as manifestacoes de "massa" (talvez muita massa e pouco cerebro) - Rodrigo Constantino

Não tenho tempo, por excesso de trabalho em outras frentes (como revisar um livro de 500 páginas, por exemplo, texto por texto, linha por linha), para comentar os eventos correntes, como se diz, ou seja, dizer o que penso sobre as "manifestações" (triplas aspas) em curso no Brasil, um ajuntamento heteróclito de vontades diversas, caminhando em direções muito diferenciadas, com espertalhões aqui e lá, vândalos em alguns cantos, e muitas pessoas de bem, sinceramente indignadas com o quadro lamentável oferecido hoje no país -- corrupção, desfaçatez de políticos, corrupção, ineficiência das políticas públicas, corrupção, vida cara, corrupção, serviços públicos vagabundos, corrupção, baixo crescimento, corrupção, inflação, corrupção, queda nos indicadores educacionais, corrupção, ameaças às liberdades por dirigentes totalitários, corrupção, etc, e chega, pois eu teria de ficar relatando todos os nossos males e desastres -- não tenho tempo, retomo, para falar de tudo isso, embora meus posts já deixam muito claro o que penso a respeito, pela minha escrita ou a de outros.
Não há muito o que dizer, por enquanto, dessa enorme transpiração, com muito pouca inspiração, a não ser que existe muita confusão mental, em quase todos os participantes, a maioria porque sabe o que não quer, mas ainda não sabe o que quer, exatamente e como conseguir, e uma minoria porque sabe bem o que quer, mas seus objetivos são tão malucos e perversos que nem vale a pena falar deles.
Na falta de tempo, portanto, faço o que mais faço aqui, postar algum material reflexivo.
Aliás, provavelmente 90% do material aqui postado é de terceiros, pois eu não vivo para ficar escrevendo no blog o dia inteiro, fazendo-o apenas nos intervalos ou no curso de leituras rápidas, que me permitem apenas e tão somente fazer comentários iniciais muito rápidos, depois de ler alguma matéria interessante que penso deva merecer registro neste blog (um repositório, ou biblioteca, de ideias e problemas).
Consoante esse espírito, portanto, vou postar uma mensagem de um amigo e um artigo de outro amigo.
Raivosos opositores podem comentar, desde que seja quanto aos argumentos, não atirando sobre o mensageiro, ou xingando o blogueiro, muitas vezes anonimamente.
Esse pessoal é tão canhestro que não consegue conviver com a liberdade de ideias.
Eu, por exemplo, leio tudo o que eles escrevem, mas eles só leem o que eles mesmos escrevem, e quando é diferente ficam com raiva e saem atirando.
Triste. Mas assim é mundo.
Mais da metade do mundo vive sem liberdade e na pobreza, justamente devido a esses energúmenos.
A parte do mundo que é rica e próspera é constituída de democracias de mercado, perfeitamente capitalistas (ainda que com muito besteirol keynesiano).
Dito isto, vamos aos materiais...
Paulo Roberto de Almeida

=========

Charles de Gaulle, ex-presidente francês, dizia que uma nação se ergue com conhecimento da língua pátria (já que não é possível expressar qualquer compreensão do mundo à sua volta sem conhecer bem sua forma de expressar isso aos outros); alta cultura e cristianismo. (Para quem dúvida que o Cristianismo seja necessário nessa lista, leia o capítulo 5 do evangelho de Mateus e apenas imagine sua aplicação em âmbito nacional...).

O Brasil tem vaguíssima noção dos três, talvez, hoje, zero a respeito de alta cultura...

A política apenas reflete o que está na cultura do país. A cultura é o rio mais profundo que irriga toda uma nação. Uma boa cultura gera excelentes frutos para a política, economia, saúde e para tudo o mais. Cultura não é adorno que se põe sobre uma nação. É o fundamento da mesma, sem o qual nada mais pode ser feito.

Alguém já viu por aí um novo Manuel Bandeira? Um Guimarães Rosa? Um Joaquim Nabuco? Um Machado de Assis? Um Gustavo Corção? Um Carlos Drummond? Um Gilberto Freire? 

Brasileiro sonega imposto, arruma "TV a gato", pirateia o que pode etc. De onde vêm nossos políticos, nossos governantes, se não de nossas próprias casas?

Será uma semana, um mês de protestos suficientes para mudar uma situação que já dura décadas de falecimento cultural segundo o padrão citado por De Gaulle?


Abraços.
Gustavo Carneiro de Mendonça

=========


Posted: 18 Jun 2013 06:53 AM PDT
Rodrigo Constantino

“A raiva e o delírio destroem em uma hora mais coisas do que a prudência, o conselho, a previsão não poderiam construir em um século.” (Edmund Burke)

Não vou sucumbir à pressão das massas. É claro que eu posso estar enganado em minha análise cética sobre as manifestações, mas se eu mudar de idéia – o que não só não ocorreu ainda, como parece mais improvável agora – será por reflexões serenas na calma de minha mente, e não pelo “linchamento” das redes sociais.

Ao contrário de muitos, eu não vejo nada de “lindo” em cem mil pessoas se aglomerando nas ruas. Tal imagem me remete aos delicados anos 60, que foram resumidos por Roberto Campos da seguinte forma: “É sumamente melancólico - porém não irrealista - admitir-se que no albor dos anos 60 este grande país não tinha senão duas miseráveis opções: ‘anos de chumbo’ ou ‘rios de sangue’...”

Eu confesso aos leitores: tenho medo da turba! Eu tenho medo de qualquer movimento de massas, pois massas perdem facilmente o controle. Em clima de revolta difusa, sem demandas específicas (ao contrário de “Fora Collor” ou “Diretas Já”), o ambiente é fértil para aventureiros de plantão. Um Mussolini – ou um juiz de toga preta salvador da Pátria – pode surgir para ser coroado imperador pelas massas.

Alguns celebram a ausência de liderança, se é mesmo esse o caso. Cuidado com aquilo que desejam: sem lideranças, há um vácuo que logo será preenchido. As massas vão como bóias à deriva. E sem rumo definido, não chegaremos a lugar algum desejado. Disse Gustave Le Bon sobre a psicologia das massas:

Uma massa é como um selvagem; não está preparada para admitir que algo possa ficar entre seu desejo e a realização deste desejo. Ela forma um único ser e fica sujeita à lei de unidade mental das massas. No caso de tudo pertencer ao campo dos sentimentos, o mais eminente dos homens dificilmente supera o padrão dos indivíduos mais ordinários. Eles não podem nunca realizar atos que demandem elevado grau de inteligência. Em massas, é a estupidez, não a inteligência, que é acumulada. O sentimento de responsabilidade que sempre controla os indivíduos desaparece completamente. Todo sentimento e ato são contagiosos. O homem desce diversos degraus na escada da civilização. Isoladamente, ele pode ser um indivíduo; na massa, ele é um bárbaro, isto é, uma criatura agindo por instinto.

Muito me comove a esperança de alguns liberais que pensam que o povo despertou e que será possível guiá-lo na direção do liberalismo. Não vejo isso nos protestos, nas declarações, nos gritos de revolta. Vejo uma gente indignada – e cheia de razão para tanto – mas sem compreender as causas disso, sem saber os remédios para nossos males. Que tipo de proposta decente e viável pode resultar disso?

Estamos lidando aqui com a especialidade número um das esquerdas radicais, que é incitar as massas. Assim como a década de 60 no Brasil, tivemos o famoso e lamentável Maio de 68 na França, quando apenas Raymond Aron e mais meia dúzia de seres pensantes temiam os efeitos daquela febre juvenil. A Revolução Francesa, a Revolução Bolchevique, é muito raro sair algo bom desse tipo de movimento de massas. Os instintos mais primitivos tomam conta da festa. Por isso acho importante resgatar alguns alertas de Edmund Burke em suas Reflexões sobre a Revolução em França, a precursora desses movimentos descontrolados.

Não ignoro nem os erros, nem os defeitos do governo que foi deposto na França e nem a minha natureza nem a política me levam a fazer um inventário daquilo que é um objeto natural e justo de censura. [...] Será verdadeiro, entretanto, que o governo da França estava em uma situação que não era possível fazer-se nenhuma reforma, a tal ponto que se tornou necessário destruir imediatamente todo o edifício e fazer tábua rasa do passado, pondo no seu lugar uma construção teórica nunca antes experimentada?

Não se curaria o mal se fosse decidido que não haveria mais nem monarcas, nem ministros de Estado, nem sacerdotes, nem intérpretes da lei, nem oficiais-generais, nem assembléias gerais. Os nomes podem ser mudados, mas a essência ficará sob uma forma ou outra. Não importa em que mãos ela esteja ou sob qual forma ela é denominada, mas haverá sempre na sociedade uma certa proporção de autoridade. Os homens sábios aplicarão seus remédios aos vícios e não aos nomes, às causas permanentes do mal e não aos organismos efêmeros por meios dos quais elas agem ou às formas passageiras que adotam.

Se chegam à conclusão de que os velhos governos estão falidos, usados e sem recursos e que não têm mais vigor para desempenhar seus desígnios, eles procuram aqueles que têm mais energia, e essa energia não virá de recursos novos, mas do desprezo pela justiça. As revoluções são favoráveis aos confiscos, e é impossível saber sob que nomes odiosos os próximos confiscos serão autorizados.

A sabedoria não é o censor mais severo da loucura. São as loucuras rivais que fazem as mais terríveis guerras e retiram das suas vantagens as conseqüências mais cruéis todas as vezes que elas conseguem levar o vulgar sem moderação a tomar partido nas suas brigas.

São importantes alertas feitos pelo “pai” do conservadorismo. Ele estava certo quanto aos rumos daquela revolução, que foi alimentada pela revolta difusa, pela inveja, pelo ódio. Oportunistas ou fanáticos messiânicos se apropriaram do movimento e começaram a degolar todo mundo em volta. Se a revolução é contra “tudo que está aí”, então quem é contra ela é a favor de “tudo que está aí”. Cria-se um clima de vingança, revanchismo, que é sempre muito perigoso. As partes íntimas da rainha morta foram espalhadas pelos locais públicos, eis a imagem que fica de uma turba ensandecida.

O PT tem alimentado há décadas um racha na sociedade brasileira. Desde os tempos de oposição, e depois enquanto governo (mas sempre no palanque dos demagogos e agitadores das massas), a esquerda soube apenas espalhar ódio entre diferentes grupos, segregar indivíduos com base em abstrações coletivistas, jogar uns contra os outros. Temos agora uma sociedade indignada, mas sem saber direito para onde apontar suas armas. Cansada da política, dos partidos, do Congresso, dos abusos do poder, as pessoas saem às ruas com a sensação de que é preciso “fazer algo”, mas não sabe ao certo o que ou como fazer.

E isso porque o cenário econômico começou a piorar. Imagina quando a bolha de crédito fomentada pelo governo estourar, ou se a China embicar de vez. Imagina se nossa taxa de desemprego começar a subir aceleradamente. É um cenário assustador. Alguns pensam que nada pode ser pior do que o PT, e eu quase concordo. Mas pode sim! Pode ter um PSOL messiânico, um personalismo de algum salvador da Pátria, uma junta militar tendo que reagir e assumir o poder para controlar a situação. Não desejamos nada disso! Temos que retirar o PT do poder pelas vias legais, pelas urnas, respeitando-se a ordem social e o estado de direito.

O desafio homérico de todos que não deixaram as emoções tomarem conta da razão é justamente canalizar essa revolta para algo construtivo. Mas como? Como dialogar com argumentos quando cem mil tomam as ruas e sofrem o contágio da psicologia das massas? Alguém já tentou conversar com uma torcida revoltada em um estádio de futebol? Boa sorte!


Por ser cético quanto a essa possibilidade, eu tenho mantido minha cautela e afastamento dessas manifestações. Muita gente acha que o Brasil, terra do pacato cidadão que só quer saber de carnaval, novela e futebol, precisa até mesmo de uma guerra civil para acordar. Temo que não gostem nada do gigante que vai despertar. Ele pode fazer com que essa gente morra de saudades do "homem cordial". Não se brinca impunemente de revolução. Pensem nisso, enquanto há tempo.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dez Anos de Regime Pos-Neoliberal no Brasil: Tudo deu chabu? Ou escapou do controle?

Pois é, essas massas ignaras são mesmo ignaras, e imprevisíveis.
Vai ver que a maravilha da democracia popular, do país de todos, do país sem miséria já não encanta mais ninguém...
Seria a Queda da Pastilha?
Paulo Roberto de Almeida

Augusto Nunes, 17/06/2013

Depois do que se viu nesta segunda-feira, é impossível prever os desdobramentos das manifestações que, precipitadas pelo aumento das tarifas de ônibus em São Paulo, assumiram dimensões nacionais e ampliaram notavelmente o estoque de palavras de ordem que resumem a pauta de reivindicações. Não há como antecipar os rumos ou calcular o fôlego de um movimento ainda sem líderes visíveis e sem contornos definidos. Os candidatos a vidente que enfileiram palpites na TV apenas confirmam a sabedoria da frase popularizada por Marco Maciel: “Pode acontecer tudo, inclusive não acontecer nada”.
Os espasmos de violência que pareciam inevitáveis em São Paulo irromperam no Rio de Janeiro ─ que, também surpreendentemente, abrigou a maior das manifestações que se espalharam por 11 capitais. Os espertalhões que saborearam de manhã o desgaste de Geraldo Alckmin passaram a noite consolando Sérgio Cabral. Os oportunistas que acordaram sonhando com o cerco do Palácio dos Bandeirantes tentarão dormir pensando nas correrias provocadas pela ocupação da cobertura do prédio do Congresso ─  e pela suspeita de que os manifestantes marchariam sobre o Planalto. O mapa dos protestos incluiu cidades e estados administrados tanto por governistas quanto por gente eleita pela oposição. Os caroneiros oportunistas do Psol, do PSTU e do PT foram rechaçados pela imensa maioria de manifestantes que não se sentem representados por quaisquer partidos ou líderes políticos.

É cedo para saber, insista-se, o que vai nascer (se é que algo nascerá) da insatisfação aguda mas ainda difusa das multidões sem rosto. O que está claro é que a farsa forjada para celebrar a Pasárgada lulopetista foi liquidada nesta segunda-feira. Afogado por uma enorme onda de descontentamento, o Brasil Maravilha morreu.

============

Governador de Brasília, do PT, mostra fotos de seis líderes dos tumultos de domingo. São todos funcionários do Palácio do Planalto


São todos ocupantes de Cargos em Comissão dentro do Palácio do Planalto, trabalhando ao lado da presidente Dilma. A ação é típica de agentes infiltrados de provocação - provocadores. A idéia do governo e do PT parece estimular a violência de rua e com isto justificar o endurecimento do regime.

Gustavo Capella, Subprocuradoria Geral da República
Daniel da Silva, Secretaria Geral da PR
João Vitor, Subsecretaria de Assuntos Jurídicos
Gabriel Elias, Secretaria de Relações Institucionais
Mayra Souza, Secretaria Executiva da Casa Civil

O Jornal Nacional informou ainda há pouco que o governo do Distrito Federal identificou os cinco principais líderes das violentas manifestações de domingo diante do Estádio Mané Garrincha, constatando que todos eles são jovens servidores da secretaria Geral, subprocuradoria de Assuntos Jurídicos, secretaria de Relações Institucionais e Casa Civil. O próprio governador Agnello Queiroz, que é do PT, confirmou o que mandou investigar, informando além disso que o grupo inteiro trabalha no Palácio do Planalto e usou dinheiro para provocar os tumultos, inclusive ao contratar kombis para o transporte de pneus que mais tarde foram queimados para interromper as vias públicas.
Trata-se de um escândalo político sem precedentes no coração do governo Dilma Roussef. Ou ela demite Gilberto Carvalho, secretário Geral, a quem de fato todos estão subordinados, ou ela própria será responsabilizada pelos crimes.
Entrevistado pelo Jornal Nacional, o secretário Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que duvidava das informações, não quis assumir investigações e avisou que não quer injustiças.
O Jornal Nacional também, ouviu os jovens, que negaram tudo.- Há poucos minutos, o editor falou com dois deputados que ainda encontravam-se com assessores no interior do Congresso, mas que começaram a ir embora por recomendação da segurança da Casa. Ambos disseram ao editor que um pequeno grupo de manifestantes permanece tentando ingressar à força no prédio do Congresso e que seus líderes são provocadores infiltrados pelo PT.

Ah, essas massas que destroem tudo por causa de 20 centavos...

A guerra do vintém

Exploradas por militantes republicanos, manifestações contra taxa sobre transporte urbano tumultuam capital do Império e deixam mortos e feridos pelas ruas

José Murilo de Carvalho
Revista de História da Biblioteca Nacional, 9/9/2007

No dia 28 de dezembro de 1879, a capital do Império viu algo inédito desde 1863, quando o Brasil rompeu relações com a Inglaterra por conta da Questão Christie: a multidão protestando na rua. A manifestação aconteceu no campo de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, em frente ao palácio imperial. Cerca de cinco mil pessoas, lideradas por um militante republicano, o médico e jornalista Lopes Trovão, reuniram-se para entregar a d. Pedro II uma petição solicitando a revogação de uma taxa de 20 réis, um vintém, sobre o transporte urbano, ou seja, bondes puxados a burro. O vintém era moeda de cobre, a de menor valor da época. A polícia não permitiu que a multidão se aproximasse do palácio. Enquanto os manifestantes se retiravam, o imperador mandou dizer que receberia uma comissão para negociar.
Mas Lopes Trovão e outros militantes republicanos, buscando tirar o máximo proveito político da ação da polícia, recusaram o encontro. Divulgaram um manifesto dirigido ao soberano, convocando-o a ir ao encontro do povo. A Gazeta da Noite de Lopes Trovão e panfletos distribuídos pela cidade passaram a pregar o boicote da taxa e a incitar a população a reagir com violência, arrancando os trilhos dos bondes. Outra manifestação foi convocada para o dia 1º de janeiro, data da entrada em vigor da taxa, agora no centro da cidade, no Largo do Paço, hoje Praça 15 de Novembro.
Nesse dia, a taxa estava sendo paga até que, ao meio dia, a multidão se reuniu no local previsto. Percebendo talvez a enrascada em que se metera, Lopes Trovão não incitou a multidão à ação. A massa moveu-se, então, pelas ruas do centro aplaudindo as redações dos jornais de oposição e se dirigiu ao Largo de São Francisco, ponto final de várias linhas de bonde. Em frente ao prédio da Gazeta da Noite, o próprio Trovão fez um apelo aos manifestantes para que se dispersassem. Mas àquela altura ele já perdera o controle dos acontecimentos. A massa popular concentrou-se nos arredores da Rua Uruguaiana e do Largo de São Francisco. O delegado que comandava as tropas da polícia pediu reforços ao Exército, mas, antes que a ajuda chegasse, ordenou à polícia que dispersasse a multidão a cacetadas.
A um grito de “Fora o vintém!”, os manifestantes começaram a espancar condutores, esfaquear mulas, virar bondes e arrancar trilhos ao longo da rua Uruguaiana. Dois pelotões do Exército ocuparam o Largo de S. Francisco, postando-se parte da tropa em frente à Escola Politécnica, atual prédio do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ. O povo, que só detestava a polícia, aplaudiu a tropa. Mas alguns mais exaltados passaram a arrancar paralelepípedos e atirá-los contra os soldados. Por infelicidade, um deles atingiu justo o comandante da tropa, tenente-coronel Antônio Enéias Gustavo Galvão, primo de Deodoro da Fonseca, militar que uma década depois se tornaria o primeiro presidente do Brasil. O oficial descontrolou-se e ordenou fogo contra a multidão.

Como ser um idiota util (ou inutil), bem informado: Idiot's Guide do manifestante e do pro-manifestante

O manual do manifestante for dummies (mesmo sem saber...)
Parte do princípio de que todo manifestante é um ser bem intencionado, lutando pelas boas causas, e que a origem de todo o mal, todos os problemas estão com a polícia...
Ou tudo o que você não precisava saber, mas não tinha a quem perguntar, sobre manifestações idiotas, bem informadas, simplesmente inúteis, ou absolutamente chatas (para quem trabalha e quer circular livremente...).
Paulo Roberto de Almeida

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA A GRANDE MANIFESTAÇÃO DE SEGUNDA-FEIRA / DIA 17/06 EM TODO O BRASIL

1 - Como protestar e ajudar de casa
2 - Como se comportar no protesto
3 - Orientações Jurídicas
4 - Evento Oficial e contato com a Coordenação
5 - Material e Suporte Técnico
6 - Como lidar com gás lacrimogêneo e bombas
7 - Primeiros Socorros (pré-durante-pós)
8 - Eventos no Brasil. 
9 - Eventos no Mundo.
10 - Ajuda internacional

[5 MANEIRA DE AJUDAR SEM SAIR DE CASA!]

1. Abra seu Wi-Fi
Se você mora ou trabalha perto das áreas de manifestação libere o sinal do seu Wi-Fi. Com mais conexão os protestantes são capaz de informar melhor e subir seus registros e trocar mensagens. 

2. Bandeira branca na janela
Coloque uma bandeira branca na sua janela e participe do movimento VEM PRA JANELA: https://www.facebook.com/events/281102965366442/?fref=ts que dá mostra o apoio das pessoas dentro de casa aqueles na rua - lutando.

3. Proteja os manifestantes
Separe alguns panos com vinagre e garrafinhas de água, e converse com seu porteiro para abrigar gente fugindo dos protestos se a violência começar. PMs agrediram diversas pessoas tentando fugir da confusão encurralados na porta de prédios - a grande maioria presente não tem interesse em participar de violência. Proteja-os se puder.

4. Registre tudo que ouve e vê
Sendo uma peça presente, registre seus arredores e participe da troca de informações sobre os protestos. Utilize as tags do evento e informe seus contatos de tudo que está acontecendo - sua presença virtual é tão importante quanto sua presença física.

5. Compartilhar é participar!
Diversas informações podem ser cruciais na hora de ajudar quem esta nas ruas. Durante o protesto do dia 13, os manifestantes souberam com alguma antecedência sobre a presença do batalhão de choque da polícia escondido, e puderam tentar minimizar a os ataques. Também foi através da internet e facebook que informações sobre pontos de suporte médico chegaram as ruas. Esteja preparando com todo seu poder de cidadão da internet pra ajudar!

[15 DICAS PARA QUEM VAI AS RUAS PROTESTAR]

15 dicas pra quem vai participar de protestos

1. Use roupas impermeáveis 
Se você tiver casacos ou peças impermeáveis em casa, eles são perfeitos contra o famoso gás lacrimogêneo. O algodão absorve o gás e os químicos ficam em contato com a pele por mais tempo. 

2. Tome Banho 
Sim, vá para a manifestação bem limpinho. Isso porque a oleosidade da pele também ajuda a fixar o gás lacrimogêneo.

3. Não fotografe o rosto dos líderes manifestantes 
Os organizadores do movimento pedem que fotógrafos e jornalistas não ajudem a polícia a identificar membros dos protestos. Essas pessoas, após identificadas, podem ser perseguidas ou presas injustamente.

4. Cinegrafista, mantenha distância! 
A cobertura da mídia tradicional brasileira está deslegitimando o processo e dando importância apenas a cenas de violência. Se você tem uma câmera, faça imagens do que realmente está acontecendo. Mas proteja-se em um lugar tranquilo e longe da confusão. No meio do protesto, você corre o risco de ser reprimido pela Polícia Militar.

5. Ande em grupo 
Vídeos postados nas redes sociais mostraram grupos de policiais espancando pessoas que estavam sozinhas. O melhor é estar sempre acompanhado por um grupo. 

6. Óculos de Natação 
O óculos é barato - pode ser encontrado por R$ 2 em lojas de artigos esportivos - e protege os seus olhos do gás lacrimogêneo. Não use lentes de contato! Elas retêm o gás nos seus olhos. 

7. Máscara de Pintor 
Esta é mais uma opção barata para se proteger contra o gás lacrimogêneo. Bandanas e lenços também ajudam. Acrescente vinagre diluído em água e, se puder, leve um Cebion para colocar na boca. 

8. Nunca esfregue os olhos! 
Para desinfetá-los contra o gás, vire a cabeça lateralmente, jogue água corrente e deixe-a escorrer do olho para fora, em um olho de cada vez. A amônia corta o efeito do gás lacrimogêneo - vinagre contém amônia (misture meio litro de vinagre em meio litro de água pra lavar o rosto) ou Cebion.

9. Sapatos confortáveis 
No último ato, foram 5 horas de caminhada. Vá preparado. 

10. Se você não for participar, evite a região onde o ato vai acontecer 
Você não precisa ser contra nem a favor. Se não vai participar, o melhor é evitar a região do protesto. A população está saindo nas ruas para reivindicar um direito básico. Não seja o chato que reclama porque chegou 2 horas mais tarde em casa. O ato em São Paulo acontece na próxima segunda-feira 17. 

11. Registre os abusos
Diversos casos de violência e abusos só vieram a tona por que haviam registros feitos por telefones e câmeras. Utilizem as armas que vocês tem para gravar todo tipo de violência e excessos.

12. Informe e esteja informado
Mantenha seu círculo de contatos atualizado do que está acontecendo com você, em caso de ser preso ou estar machucado, alguém pode ir ao seu encontro e te ajudar. Caso você precise o momenti Habeas Corpus tem uma legião de advogados prontos pra defender seus direitos civis:https://www.facebook.com/events/557049844337828/

13. Descubra quais os pontos de apoio
Durante o último evento a Matilha Cultural prestou suporte médico aos manifestantes. Procure se informar onde estão os novos pontos de apoio, isso pode salvar a vida de alguém.

14. Seja pacífico.
Lute mas não recorra a violência. Se houverem manifestações de violência, filme e reporte. Se afaste dos ambientes onde está acontecendo combate, depredações e conflito. Essas ações invalidam e deturpam o valor da manifestação. No lugar disso, leve seu cartaz e prepara a voz pra gritar. Em caso de agressão policial com balas de borracha, deite no chão.

15. Leve seu vinagre.
Por que (ainda) não é crime.

[ORIENTAÇÕES JURÍDICAS PARA QUEM FOR NA MANIFESTAÇÃO]

1. A polícia PODE te deter, por alguns minutos, para “averiguação”. Ou seja, para verificar se você está carregando bombas, armas, drogas, etc. A polícia NÃO PODE te prender para averiguação, te jogar em um camburão, e te levar para a delegacia;

2. Se você for pego cometendo algum crime (independente das razões para isso), você poderá ser preso. Se você estiver portando drogas, bombas, armas, ou estiver depredando o patrimônio público, a polícia PODE te prender e te levar para a delegacia;

3. Você tem o direito de permanecer calado diante de qualquer pergunta, de qualquer autoridade. Você também tem direito, na delegacia, de contar com o auxílio de um advogado. Se você for preso, levado para a delegacia, e quiserem tomar o seu depoimento, EXIJA um advogado presente. Se não permitirem a presença de um, dê como declaração o seguinte: “PERMANECEREI EM SILÊNCIO, PORQUE ME FOI NEGADO O DIREITO DE TER UM ADVOGADO ACOMPANHANDO ESTE ATO”. Isso tem que ficar documentado no papel. Se o delegado ou o agente da polícia civil se negar a colocar isso no papel, NÃO ASSINE NADA!

4. Na delegacia, LEIA TUDO ANTES DE ASSINAR! Se o que estiver escrito não for a realidade, ou se você não disse alguma coisa que está escrita, NÃO ASSINE;

5. Se você for preso, não adianta discutir com o policial. Não reaja. Anote o nome de todos. Grave-os na sua memória. Se você vir alguém sendo preso, FILME! E, se souber o nome de quem está sendo preso, colete outros nomes ao redor, com telefone para contato, que poderão no futuro servir de testemunhas. Após, entre em contato com a pessoa que foi presa e repasse as informações.

6. Qualquer revista da polícia, em você ou em mochilas, DEVE SER FEITA NA PRESENÇA DE TODOS. A polícia NÃO PODE pegar a sua mochila e ir verificá-la longe dos olhos de todos.

7. Se você estiver machucado, EXIJA ATENDIMENTO MÉDICO IMEDIATO, mesmo antes de ir para a delegacia. A sua saúde deve ser mais importante do que a sua prisão. 

8. Alguém foi preso ou está precisando de auxílio de algum advogado, entre em contato pela página “Habeas Corpus Movimento Passe Livre Manifestação 17/6”. Já somos mais de 4000 dispostos a te ajudar, gratuitamente.

9. E o mais importante: viu alguém sofrendo qualquer tipo de abuso? FILME! A polícia levou a mochila para revistar, sem o acompanhamento de ninguém? FILME! Viu alguém sendo preso por portar coisas legais, como vinagre ou máscaras, FILME! Anote o nome dos policiais que abusarem. Se ele não estiver portando alguma identificação, TIRE UMA FOTO! Com esses dados é possível a responsabilização do Estado e do policial que cometer os abusos.

[MATERIAL GRÁFICO] 

Precisa de material gráfico (panfletos, cartazes) pra manifestação? O Estúdio Meli Melo está apoiando as manifestações e imprimindo de graças peças enviadas por nós para serem distribuídas no dia do evento. Entre em contato!

Fique de olho também nos cartazes e imagens rolando no facebook e compartilhe bastante o evento oficial: https://www.facebook.com/events/388686977904556/ e participe do AVAAZ para ser entregue ao prefeito pelo movimento Passe Livre.

[GRITOS DE GUERRA e CARTAZES]

Isso, já estamos preparando o coro e os cartazes, idéias aqui:https://www.facebook.com/events/388686977904556/388767097896544/?notif_t=event_mall_comment

[COORDENAÇÃO DOS PROTESTOS]

Movimento Passe Livre SP (MPL-SP): http://saopaulo.mpl.org.br/
mais informações sobre transporte: http://tarifazero.org/

[SOBRE GÁS LACRIMOGÊNEO E BOMBAS DE EFEITO MORAL]

QUEM DEVERIA EVITAR O SPRAY: aqueles com asma, problemas respiratórios ou infecciosos; mulheres grávidas; mulheres que pretendem engravidar; qualquer pessoa doente ou com um sístema imunológico baixo; infecção nos olhos; quem usa lentes de contato; crianças.

PREOCUPAÇÕES QUE DEVEM SER RELACIONADAS AO SPRAY: já que o spray de pimenta deve ser jogado de uma distância curta, a policia poderá tentar remover seus óculos de proteção ou sua máscara.

A reação aos químicos será beneficiada se houver alguma irritação na pele, como ACNE ou ECZEMA severa.

As LENTES DE CONTATO prendem os gazes irritantes e os componentes químicos, podendo aumentar os danos e as irritações causados por eles. Consiga óculos de grau e avise aos outros para não usar lentes de contatos.

ASMÁTICOS deverão trazer a suas bombinhas.

A primeira e mais importante coisa que deve ser lembrada é: RELAXE! Se você estiver tranquilo, tiver suplementos necessários e conhecimento, não irá precisar de assistência médica. Medo e confusão pioram tudo.

[PRIMEIROS SOCORROS EM CASO DE VIOLÊNCIA]

NÃO USE brincos, piercings, colares, gravatas, etc.

VISTA-SE DE ACORDO COM A TEMPERATURA: quanto mais você cobrir o seu corpo, mais você estará protegido. Casacos de chuva ou tecidos à prova d'água, lavados com sabão neutro, não irão absorver os químicos (ao contrário do cotton ou algodão). Cubra pulsos, tornozelos e pescoço.

POR FAVOR, TENHA CERTEZA DE QUE O SEU GRUPO DE AFINIDADE E A EQUIPE DE AJUDA LEGAL SAIBAM DE SUAS NECESSIDADES, PARA QUE POSSAM AJUDÁ-LO E ORIENTÁ-LO. Isso significa ter alguém ao lado consciente de alguma condição médica sua preparado para te dar apoio.

CUBRA TAMBÉM OS CABELOS com algo que seja à prova d'água: sacola plástica, touca de banho, capacete, etc.Use tênis ou botas confortáveis, que sirvam para correr. Leve calça e blusa extras, guardados na mochila, para você trocar as roupas contaminadas.

BANDANAS encharcadas em vinagre substituem a máscara de gás aliviando a garganta e o nariz. Mantenha-na guardada numa sacola plástica com zíper.

LANCHES ENERGÉTICOS: 
Leve, tanto faz se em líquido ou barras (lembre-se que você vai ficar o dia todo na rua).

O QUE VOCÊ NÃO DEVE PASSAR NA PELE:
Vaselina, detergente, hidratantes, maquilagem, protetor solar que contém óleo, ou qualquer coisa ácida irá causar reações fortes. Não use vaselina ou óleo de mamona como proteção!!!

[PRIMEIROS SOCORROS DURANTE A AÇÃO]

Fique calmo e concentrado.

Quando o seu corpo aquece (por correr ou devido ao pânico), a irritação por spray de pimenta poderá aumentar. A principal razão disto acontecer é porque os seus poros irão abrir, permitindo a maior absorção dos químicos.

Fuja para um local seguro com ar puro, onde pessoas que não foram expostas poderão ajudá-lo ou garantir a sua segurança enquanto você se cuida.

Rosto em direção ao vento, olhos abertos, levante os braços e caminhe, permitindo que o ar puro te descontamine. Respire profundo e devagar.

Não toque seus olhos ou rosto, porque você poderá se recontaminar.

Assopre o nariz e cuspa, isto ajudará a eliminar os químicos.

Se sua pele estiver molhada de spray de pimenta, limpe-a com roupa que não foi contaminada. Se você espalhar o óleo químico pela pele, aumentará a dor.

Antes de tratar alguém, peça-lhe permissão! Então explique para ele (a) o que você fará, antes de fazê-lo.

Use luvas limpas (evita contaminação das duas partes) e proteção para os olhos, para não acabar impossibilitado de ajudar os outros e precisar, também, de tratamento.

Logo depois da contaminação, você pode passar algum óleo mineral e em seguida um algodão com álcool na pele contaminada. Isto irá aliviar a dor (esle procedimento só funciona se for feito logo após a contaminação).

Molhe a região dos olhos que foi contaminada espirrando a água em direção ao chão. Desta forma, ela não irá contaminar a pele limpa, roupas ou cabelos.

GUARDE AS ROUPAS CONTAMINADAS EM UMA SACOLA.

[PRIMEIROS SOCORROS DEPOIS DA AÇÃO]

Se descontamine com um banho frio. Isto mantém os poros fechados prevenindo que os químicos entrem pela pele.

Coloque a roupa contaminada para arejar.

Fique sabendo que, se você entrar em uma sala com roupas, cabelo e pele contaminados por químicos, você irá contaminar toda a sala.

Um lugar contaminado pode ficar com um mal cheiro forte por semanas.

Se possivel, troque de roupa antes de entrar em locais fechados.

Coloque as roupas contaminadas numa sacola e tire todo o ar. Lacre, para que os gazes se difundam lentamente. Se você quiser a suas roupas de volte, marque a sacola com um nome.

[PEQUENOS SANGRAMENTOS]

NASAL - inclinar (abaixar) a cabeça para frentte; pedir para a vítima cuspir todo o sangue da boca e respirar pela boca; fazer pinçamento do nariz, logo abaixo do osso, na cartilagem, por 10 min; soltar devagar. Se continuar sangrando, enfie um pedaço de algodão ou pano no nariz e continue o pinçamento por mais 10 min.

CORTES - expor o ferimento; fazer compressão direta sobre a hemorragia; com um pano limpo comprimir em cima do ferimento elevá-lo ao nível do coração; quando o pano estiver cheio de sangue, colocar outro por cima.

VASO EXPOSTO - fazer o pinçamento dos vasos.

OBJETO TRANSFIXADO - mantê-lo fixo colocando algum pano em volta; colocar um objeto leve tamando o que está transfixado; prender com uma fita; pôr um pano em cima e prender com uma faixa.

FERIMENTOS GRAVES - providenciar socorro médico e hospitalar.

[OUTRAS CIDADES PARTICIPANDO DOS PROTESTOS]


[OUTROS PAÍSES PARTICIPANDO DOS PROTESTOS]



[AJUDA INTERNACIONAL]

Caso esteja fora do país e quer ajudar, o pessoal do mobilizados está arrecadando doações para kits de primeiros socorros, cartazes e outros materiais para as próximas manifestações - https://www.facebook.com/Mobilizados


[SOBRE]

Esse post é uma compilação de uma pesquisa com as informações que estão girando pelos últimos dias com o único intuito de esclarecer e preparar meus amigos e outras pessoas para possíveis eventos durante as manifestações.

Todo o interesse do evento é num movimento de paz e democracia. Só estamos nos preparando para ajudar outras pessoas caso seja preciso. E caso me encontre por lá, aceito HIGH-FIVE o/


COMPARTILHEM QUE INFORMAÇÃO É PODER! 

VAMOS FORTES PRAS RUAS!