O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

sábado, 30 de janeiro de 2010

1899) Islam: uma religiao tolerante

Mas acho que os britânicos são um pouco mais tolerantes...








17 comentários:

Vinícius Portella disse...

Meu caro,

Tomo este teu post mais como uma provocação do que algo que tenhas por verdadeiro devido a tua inteligência e responsabilidade com que expões tuas ideias. Por uma simples razão lógica, dessas fotos se conclui que existem muçulmanos intolerantes; sendo, no entanto, impossível dizer que todos sejam intolerantes. É claro que tua ironia não se utiliza de nenhum quantificador, mas ao empregar o termo "religião" logo se é levado a pensar em um universal em determinado universo. Isso, definitivamente, não se segue das fotos. Certa vez li uma entrevista de Tariq Ali sobre essas questões relativas ao Islã. Vou procurá-la e depois a mando aqui. Estou ciente que se encontram no Alcorão "motivos guerreiros", no entanto, isso por si só não implica que o Islã pregue a intolerância... Não entrarei nos pormenores. Houve um tempo em que o mundo islãmico era muito mais tolerante do que o cristã e a "palavra do profeta" lida era a mesma de hoje....

Abraços!

Paulo R. de Almeida disse...

Mera provocação. Os manifestantes são militantes, não religiosos.
Mas é um fato que NENHUM religioso muçulmano faz um sermão ou algum tipo de pregação para condenar e proibir os atos de terrorismo e a incitação à morte de infieis.
É também um fato que a lei religiosa vem sendo aplicada em certos países, contra os non-believers, ou apostatas.
Isso se chama intolerância.
Nem todos são intolerantes, mas a quantidade de intolerantes é vastamente superior à de qualquer outra religião.
Isso são fatos, apenas isso.

Vinícius Portella disse...

Eu estaria inlcinado a concordar contigo, porém não o farei sem elementos suficientes. Quanto aos dois últimos fatos, não há grandes problemas em aceitá-los mesmo intuitivamente. Os problemas recaem sobre o primeiro. Não tenho conhecimento para afirmar se NENHUM religioso muçulmano fez algum tipo de condenação a atos terroristas. Dado o imenso número de clérigos maometanos é algo difícil de se afirmar. Certo é que não nos chegou notícia sobre a ocorrência de tal fato. Mas aceitemos que NENHUM tenha feito. Mesmo assim, ficaria vago se não o fizeram por estarem de acordo com os terroristas, ou por não o poderem fazer devido a possíveis retaliações de grupos extremistas, condenando-os intimamente.
Entretanto, é certo que há certos grupos manipulando o islã de maneira extremamente perigosa para suas sociedades e para a comunidade internacional e agindo de maneira abjeta.

Abraços!

Vinícius Portella disse...

P.S: Não me leve a mal, não quero entrar em nenhum debate escolástico(objetivo sobre coisas vagas)! Findo aqui meus comentários sobre isso, ao menos enquanto não forem apresentados novos elementos.

Um grande abraço!

Paulo R. de Almeida disse...

A maior autoridade religiosa do mundo muçulmano é a Universidade Al-Azhar, no Cairo; ela JAMAIS condenou qualquer atentado terrorista. Alias, ela aprovou a censura a Salman Rushdie, por seu livro Versos Satanicos, mas nao tenho certeza de ter concordado com a morte.
Ela tambem condenou o Premio Nobel Nagib Mafouz por achar que seus livros eram contra a religião.

DD disse...

Esses são os francos, que dizem abertamente o que querem. Há outros, mais perigosos, que se valem de um discurso duplo e são aceitos como pessoas respeitáveis, dispostas ao diálogo. Gostaria de ver os europeus mais preocupados com os do segundo tipo.

Mas é inútil: a Europa se rendeu. E não foi por falta de aviso.

Paulo R. de Almeida disse...

A Europa está sendo politicamente correta com os muçulmanos, evitando de integra-los "republicanamente", como diriam os franceses e certos companheiros por aqui. Vão certamente pagar um preço por isso, e não apenas em termos de atentados terroristas, mas com problemas sociais como já se vê na França.

Vinícius Portella disse...

Como é o "republicamente" francês? Quais são as vias para sua assimilação? Como fez o... foge-me agora o nome do sujeito... que queria proibir o uso de véus em escolas? Deixo bem claro que essas são perguntas para saber a tua opinião, não defesa do "politicamente correto" vigente. Realmente, salta aos olhos que isso dará muito problemas.

Abraços.

Vinícius Portella disse...

DD,

Também não excluo a existência desses: penso que sejam a grande dor de cabeça dos serviços de inteligência europeus...

Abraços.

Anônimo disse...

"Oh, East is East, and West is West, and never the twain shall meet,
Till Earth and Sky stand presently at God's great Judgment Seat;
But there is neither East nor West, Border, nor Breed, nor Birth,
When two strong men stand face to face, tho'they come from the ends of the earh!"

Rudyard Kipling(in: "The Ballad of East and West"; est.5)

Prezado Vicente,

Compreender aos que nos são estranhos não nos torna iguais.

Sds

Vale!

Palazzo disse...

Qual a fonte dessas imagens? A letra em todos os cartazes é muito padronizada, acho suspeito. Pode ser uma montagem.

Anônimo disse...

tô na área..
alô Palazzo..
Os cartazes foram impressos em modernas HPs,por isto a PADRONIZAÇÃO.
Quanto ao comentarista bem anterior que AINDA vê algo bom nesta turma:
JAMAIS houve qualquer condenação explicita contra os radicais islâmicos dentro dos islâmicos e alegar que os "moderados"tenham RECEIO,já responde um MONTÃO de questões sôbre o Islã.
Não se sabe de qualquer lugar moderado dentro do Islâ que permite por exemplo OUTRAS RELIGIÕES em sua suposta área de denominação.
Não acha isto moderado demais?.
fui...e talvez volte

Guilherme disse...

Olá...

Me desculpe, mas vejo esse post, do modo com que foi editado, sensacionalista pois universaliza o islã, desconsidera sua ala pacífica. Seguindo a mesma linha, você poderia postar algo mostrando como os americanos são terroristas pelo massacre vietnã ou pelos assassinatos cometidos contra os repórteres em Bagdá. Interessante também, seria mostrar como os judeus são nazistas, pois pregam a limpeza étnica em Israel. Sr Paulo Roberto, o senhor usa sua inteligência para alienar, mostra a
efeito, mas excluí a causa. Se te punirem por um crime que você não cometeu (9/11), você aceitaria ?
E se alguém invadir sua casa, expulsar seus filhos e te mandar pra rua sem nada (Questão Palestina), você ficaria sentado ?
Você toleraria tudo isso? Vamos supor que não. Você é cristão ? Vamos supor que sim, portanto, pelo viés analítico do seu post, o cristianismo é intolerante e ponto final. Escolha melhor suas fontes e
apresente um teor crítico e analítico de um cientista social.

Abraços. Boa sorte !

Paulo R. de Almeida disse...

Guilherme,
Meu post não continha absolutamente nenhum comentário meu, apenas fotos, nada mais que fotos, que não acredito tenham sido trucadas ou manipuladas.
Apenas encimei as fotos com esta observação sobre os britânicos, pois eles são, de fato, tolerantes, como poucos povos no mundo.
Acho que você deveria informar-me sobre esse Islã pacífico de que você me fala: eu sinceramente não tenho visto, e se existe, ele não tem se manifestado no sentido de condenar atentados contra civis inocentes, crianças, etc, que são em sua grande maioria muçulmanos, no Afeganistão, no Iraque, etc.
Explique quais são as causas, que eu não conseguir perceber...
Este blog está aberto a informações fiáveis e opiniões inteligentes.
Paulo Roberto de Almeida

Guilherme disse...

Grato pela liberdade.

Exatamente, seu post não continha comentário nenhum, apesar de ter estar atrelado a um link "Certas imagens falam mais do que mil palavras"... mas tudo bem...

Me referi ao modo como foi editado seu post, cheguei até ele buscando informações sobre TOLERÂNCIA ISLÂMICA, e fiquei pensando como seu post pode "desinformar", ou criar opinião baseada em informação incompleta e tendenciosa.

Você fala em povo britânico, esclareça sua concepção sobre as relações entre povo, religião e estado.

A Irlanda já foi marcada pela intolerância.

Não sei exatamente a taxa de muçulmanos que usam a violência, mas tenho certeza que não são 100%.

E porque estes não se manifestam ? Ora, posso presumir que seja por medo de represálias.

Se eu tivesse a oportunidade de postar fotos das cruzadas, da imposição do cristianismo aos índios americanos, teria eu o direito de dizer ironicamente que o cristianismo é tolerante ?

Vinícius Portella disse...

Caro Guilherme,

Acredito que não estejas sendo justo ou mesmo cordato com PRA tal como deverias. Primeiro, ele já declarou que suas palavras foram mera provocação. Todavia, apresenta um fato importante: o de a maior autoridade no mundo muçulmano - a Universidade Al-Azhar - não ter se pronunciado contra qualquer ato terrorista. (Particularmente, não gosto de me referir assim a instituições como se fossem pessoas a esposar determinada ideia... mas deixemos esse senão de lado e aceitemos a colocação como uma metonímia). Caberia a ti apresentar alguma autoridade islâmica que tivesse condenado os atentados, ou então fazer as devidas distinções e especificações do que se pode tratar como "Islã" de maneira a reunir argumentos que refutassem nosso "bloganfitrião". Ante a isso, presumes que as autoridades islâmicas não se manifestem por medo de represálias. Pois bem, acho bem plausível que existam autoridades que não condenem tais atos por esse motivo. Todavia, não apresentas argumentos que nos façam aceitar tal afirmação necessariamente. Ademais, também é evidente que existem autoridades islâmicas que apóiam e quem sabe até mesmo estimulem o terrorismo...
No mais, não se coloque cowboys e seus cavalos, no Saara, a planejar assaltos às caravanas beduínas...

Espero que tragas novos elementos para enriquecer este debate. Também não quero que leves para o lado pessoal minhas palavras, apenas espero que refines tua opinião.

Abraços.

Paulo R. de Almeida disse...

Guilherme,
Os atentados islâmicos cometidos em países perfeitamente islâmicos matam mais islâmicos inocentes (crianças, mulheres, etc) do que apóstatas, infieis ou os desprezíveis ocidentais.
Confira se algum clérigo islâmico ou qualquer alta autoridade religiosa de qualquer país islâmico pronunciou alguma fatwa, ou fez qualquer declaração condenando esses ataques como anti-islâmicos e desnecessariamente cruéis e vis.
Se você achar, me avise por favor.
Paulo Roberto de Almeida