O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Olavo de Carvalho: um crápula nojento - Natália Silva (Abraji)

Desculpem o título, mas há muito tempo que pretendia denunciar este comportamento inaceitável pelo criminoso guru presidencial, incitando perseguições contra jornalistas e atacando de forma vil quem se lhe oponha (eu, por exemplo).
O sujeito é um criminoso em potencial, ao incitar a sua turba fanática contra jornalistas.
Paulo Roberto de Almeida

Olavo de Carvalho incita seguidores contra jornalista
Natália Silva
ABRAJI, 17/04/2019
https://www.abraji.org.br/noticias/olavo-de-carvalho-incita-seguidores-contra-jornalista

Olavo de Carvalho usou suas páginas no Facebook e no Twitter para incitar seus seguidores contra o jornalista Denis Russo Burgierman. Carvalho divulgou a foto e o endereço de uma casa que supostamente pertenceria ao jornalista, acompanhada de um pedido para que seus seguidores verificassem o dado. Em outra publicação, pediu para que quaisquer informações sobre Burgierman fossem compartilhadas nos comentários, para que o jornalista tomasse “um pouco do seu próprio veneno”.
Burgierman foi aluno do Curso On-line de Filosofia (COF), ministrado por Carvalho pela internet, e escreveu reportagem sobre o assunto publicada na revista Época em 14.mar.2019. O jornalista tentou entrar contato com o filósofo diversas vezes ao longo dos últimos meses, tanto como aluno fazendo perguntas no decorrer das aulas quanto como jornalista. Suas solicitações de entrevistas e questionamentos nunca foram respondidos. Burgierman contou que, a cada tentativa de contato, Carvalho fazia postagens ofensivas contra ele. Foram feitas 10 menções ao nome do jornalista no Twitter de Carvalho desde 15.mar.2019.
Nos recentes ataques, Olavo de Carvalho acusa o jornalista de uma suposta tentativa de vingança através de uma biografia com entrevistas de "velhacos" referindo-se a Carlos Velasco, ex-aluno que virou seu desafeto e Heloísa, filha com quem o filósofo tem uma relação conflituosa. Burgierman usou o Twitter para responder ao ataque: “Não é verdade que estou escrevendo biografia do Olavo. Minha pauta é "o que aprendi no COF", não tenho interesse em fofocas familiares”.
No Facebook, Carvalho recebeu nove respostas aos pedidos de informações sobre Burgierman. Um dos comentários foi feito por Walkis Pacheco, delegado da 23a Delegacia de Homicídios de Alcoverde, em Pernambuco. Outra seguidora chamada Cristiane Aleixo dirigiu acusações à esposa do jornalista. O perfil de Karin Sebti nome que também aparece no blog de Olavo de Carvalho compartilhou uma lista de telefones supostamente ligados ao jornalista. Na manhã de 17.abr.2019 a publicação e os comentários não estavam mais disponíveis. 


Olavo de Carvalho fez mais uma postagem sobre o jornalista na noite de 16.abr.2019, na qual afirma que Burgierman o procurou para questioná-lo sobre a divulgação de seu suposto endereço. “Se você pode vasculhar a minha vida (até dando ouvidos a notórios difamadores e psicopatas), por que eu não posso vasculhar a sua sem nem mesmo fazer perguntas a seus inimigos?”, questionou Carvalho.
Segundo Thiago Dias Oliva, coordenador de pesquisa no centro de pesquisa em direito e tecnologia InternetLab, a conduta de Carvalho em relação ao jornalista é um exemplo de doxxing, prática que envolve a busca e a publicação de informações privadas de uma pessoa ou entidade disponíveis em bases públicas de dados ou redes sociais. “Ela pode ser utilizada para diversas finalidades, inclusive para coerção”, comenta.
Oliva classifica o caso de Burgierman como “extremamente prejudicial à liberdade de imprensa e ao acesso à informação”, pois o doxxing de Carvalho e seus seguidores foi utilizado para intimidar o jornalista, e não debater o conteúdo produzido por ele. “Ao expô-lo dessa forma, tem a intenção de silenciá-lo, além de desestimular a crítica em geral e o trabalho de outros jornalistas no futuro - o que é muito prejudicial para o debate público, considerando que o Olavo é uma pessoa pública”.

Nenhum comentário: