O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

A podridao do poder e a promiscuidade dos capitalistas amigos do poder - Registro

Este blog deveria servir, presumivelmente, para registro de informação e debates de qualidade sobre temas de grande relevância para o interesse público nacional, de preferência coisas inteligentes. Nem sempre, contudo, é possível cumprir com tal desiderato. Por vezes somos obrigados a romper com os critérior preferenciais seguidos neste blog para registrar coisas absolutamente deploráveis, como a corrupção em larga escala em curso no Brasil em praticamente todas as esferas do poder (inclusive nos poderes que deveriam ser mais infensos a atos criminosos, como no meio judiciário, por exemplo), para simplesmente deixar registro do que vai pelo mundo do crime, ops, pelo mundo da política e dos negócios no Brasil.
Como estes três registros, por exemplo.
Paulo Roberto de Almeida 
Brasília, 31 de agosto de 2017

Joesley entrega extrato de depósitos da propina vinda do BNDES nas ‘contas de Lula e Dilma’


Joesley Batista (um dos donos da “queridinha” do BNDES, a “campeã nacional” JBS) vai entregar à Procuradoria Geral da República, amanhã, extratos bancários que mostram todos os depósitos que ele fez nas contas que seriam usadas para guardar propina para Lula e Dilma.
As datas dos depósitos coincidem com a liberação dos empréstimos do BNDES autorizados por Guido Mantega.
É um indício importante para sustentar a tese de que Mantega cobrava propina em nome dos presidentes.
Joesley disse que mostrava pessoalmente o comprovante a Mantega toda vez que fazia algum depósito destinado, segundo ele, a Lula e Dilma.
As contas, porém, serviam apenas para registro da dívida, já que os repasses às campanhas ocorriam no Brasil, num modelo de compensação semelhante ao dólar-cabo.
Como as contas estavam em nome de offshores do próprio Joesley, até agora era praticamente impossível confirmar a versão do dono da JBS.

.-.--.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

FOI TANTA PROPINA QUE A JBS PERDEU A CONTA


Ao reunir os documentos de corroboração de seu acordo de delação, os donos da JBS descobriram centenas de notas fiscais frias relacionadas a repasses de propina sem a identificação dos beneficiários finais.
Em razão da ‘descoberta’, os delatores farão um novo anexo sobre “notas suspeitas”. Nesse conjunto, há diversas notas emitidas em nome das empresas de Adir Assad, preso pela Lava Jato no Rio e que hoje negocia um acordo de colaboração premiada.
Na Operação Abate, a PF encontrou cópia de algumas dessas notas no celular de Cândido Vaccarezza.
No início do mês, Assad admitiu ao juiz Marcelo Bretas ter gerado mais de R$ 1,7 bilhão em recursos ilícitos para pagamento de políticos de todos os partidos.

TCU manda Gabrielli e Cerveró pagarem R$ 260 milhões por Pasadena

Valores se referem a prejuízo na aquisição de refinaria no Texas; processo que trata da responsabilidade de Dilma Rousseff e de outros ex-conselheiros de Administração da Petrobrás ainda será julgado

Fábio Fabrini, de Brasília
30 Agosto 2017 | 17h47
O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou nesta quarta-feira, 30, o ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli e o ex-diretor Internacional da companhia Nestor Cerveró a ressarcir US$ 79 milhões (cerca de R$ 250 milhões) por dano ao erário na compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). A corte impôs ainda, a cada um, multa de R$ 10 milhões.
O tribunal também solicitou que os dois tenham os bens arrestados para assegurar o ressarcimento e determinou que sejam inabilitados para o exercício de cargos em comissão e funções de confiança por oito anos. Na prática, no entanto, a quitação dos montantes é improvável, pois o patrimônio já rastreado de ambos não alcança o valor cobrado pelo tribunal. Cabe recurso contra a decisão.
As punições são as primeiras aplicadas pelo tribunal por causa das perdas no negócio, considerado um dos piores já feitos pela estatal.

 


Nenhum comentário: