O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org. Para a maior parte de meus textos, ver minha página na plataforma Academia.edu, link: https://itamaraty.academia.edu/PauloRobertodeAlmeida

Mostrando postagens com marcador América do Sul. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador América do Sul. Mostrar todas as postagens

sábado, 9 de novembro de 2019

Diplomacia bolsonarista: a que isolou o Brasil no mundo - Paulo Roberto de Almeida


Diplomacia bolsonarista isolou o Brasil no mundo 

Paulo Roberto de Almeida

Antes, durante e depois do dia das bruxas, a América do Sul está enfrentando uma conjunção “astrológica” – para quem gosta dessas coisas – excepcional, com manifestações, distúrbios, rupturas, eleições, sucessões problemáticas, inovações jurídicas, enfim, a maior das confusões, e isso tudo mais ou menos junto, o que promete um final de ano especialmente problemático.
No meio de toda essa movimentação, o Brasil, que sempre foi um país propenso a ser intermediário, mediador, conciliador, proponente de bons ofícios e país disposto a atuar sempre no sentido das melhores soluções pacíficas, de consenso, em plena agitação política, o Brasil, retomo, ou sua diplomacia, está singularmente ausente, totalmente indesejado e INCAPAZ de desempenhar o mesmo papel positivo que sempre teve, uma vez que, pela própria capacidade de seus diplomatas, sempre esteve à frente de iniciativas diplomáticas tendentes a buscar a melhor solução possível para os conflitos existentes.
Hoje, a verdade é que NINGUÉM QUER O BRASIL, uma vez que o seu presidente ofendeu quase todos os interlocutores vizinhos, elogiando ditadores e violadores de direitos humanos, xingando candidatos que não combinam com sua filosofia de extrema-direita, e o seu chanceler recrudesceu estupidamente em cima do que disse o presidente, continuando a ofender os vizinhos.
SITUAÇÃO LAMENTÁVEL a de nossa posição atual na região, numa situação depreciada e até evitada pelos demais países da América do Sul. Vejamos um pouco mais.

1) Argentina: não existe diálogo com o próximo governo, e a cúpula do Mercosul será feita ANTES da posse do presidente Fernández, o que augura um péssimo começo para as relações bilaterais e para qualquer reforma do Mercosul, com baixa expectativa para que o acordo com a UE entre em vigor.
2) Uruguai: o candidato da direita fez com que o embaixador do Brasil fosse chamado na chancelaria para que lhe fosse entregue um recado direto ao presidente: “Não se meta em nossa eleição”.
3) Chile: ao elogiar Pinochet, e ofender o pai da ex-presidente Michelle Bachelet, atual Comissária de Direitos Humanos da ONU, o presidente obrigou o presidente Sebastian Piñera a se dissociar das grosserias proferidas pelo presidente brasileiro.
4) Bolívia: o presidente Bolsonaro e o seu chanceler acidental jamais serão convidados para desempenhar qualquer papel na atual crise nascida das últimas eleições no país, e o Brasil sempre foi, e poderia ser, um país tendente a uma solução negociada na situação atual, mas a parcialidade do governo brasileira torna impossível tal missão.
5) Peru: a crise deriva em grande medida da corrupção da Odebrecht no país vizinho, e havia uma grande cooperação jurídica entre os dois países. Aparentemente, essa cooperação está prejudicada pela confusão institucional nos dois países.
6) Colômbia: a despeito de ter um governo de direita, o governo da Colômbia não parece demonstrar nenhuma disposição para qualquer coordenação com o Brasil no encaminhamento dos problemas atuais, em especial na longa crise venezuelana.
7) Equador: a crise no país parece estar terminando, mas tampouco o Brasil teria um papel significativo na profunda crise que ocorreu, e ainda não foi inteiramente superada, no país andino, com o qual o Brasil já teve excelentes relações.
8) Venezuela: desde o dia 1ro de janeiro, por equívocos lamentáveis do chanceler e seus mestres aloprados, não existe qualquer diálogo com o governo de fato em Caracas, por erros de cálculo da diplomacia bolsonarista, por seguidismo idiota das iniciativas eleitoreiras do governo Trump – e seu ex-conselheiro expurgado John Bolton –, por outros erros monumentais dos mesmos aloprados em relação ao Grupo de Lima, e não parece haver perspectivas de que a situação melhore no futuro breve.
Concluindo: se o Brasil está isolado no mundo, e está, com exceção dessas ditaduras de direita apreciadas pelo presidente idem, o Brasil está ainda mais isolado no continente, pois, ao que parece, nenhum, absolutamente nenhum dos governos da região deseja ter o Brasil como interlocutor de confiança para exercer qualquer papel de bons ofícios nos atuais problemas que infelicitam a região.

Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 9/11/2019

sábado, 12 de maio de 2018

Politica e integracao na America do Sul: palestra debate com Antonio Jorge Ramalho da Rocha

Diálogos Internacionais do IPRI: Política e integração na América do Sul 

A Fundação Alexandre de Gusmão (Funag) e o Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais (IPRI) convidam para a palestra-debate na série “ Diálogos Internacionais”, sobre “Política e integração na América do Sul: UNASUL, CDS e ESUDE”, pelo professor doutor Antônio Jorge Ramalho da Rocha. O professor Ramalho da Rocha é doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2002), atualmente cedido ao Ministério da Defesa, na Assessoria do Ministro. Dirigiu o Departamento de Cooperação do Ministério da Defesa e o Centro de Estudos Brasileiros em Porto Príncipe (Haiti) e integrou a Assessoria de Defesa da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Assessorou o ministro da Defesa na implantação do Instituto Pandiá Calógeras, do qual foi o primeiro diretor. Atualmente, dirige a Escola de Defesa da UNASUL, baseada em Quito, e integra o corpo de professores responsáveis por implantar o Mestrado em Segurança Internacional e Defesa da Escola Superior de Guerra do Brasil. A palestra será realizada na Sala de Reuniões “D”, 2 º andar do Anexo II, no dia 15 de maio de 2018 às 15h. Inscrições pelo site: www.funag.gov.br/sisev.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Retratos sul-americanos: um empreendimento exemplar, em 4 volumes

Tive o privilégio, a chance e a honra de participar de todos os quatro volumes publicados de ensaios diversos sobre a América do Sul, sob a iniciativa de Elisa Sousa Ribeiro Pinchemel e Camilo Negri, agora com todos os livros disponíveis em formato digital.
Basta clicar aqui ou acessar a página  https://brasilia.academia.edu/ElisaRibeiroPinchemel. É necessário se inscrever gratuitamente no site para completar os downloads e receber automaticamente outras publicações de temas do seu interesse, caso deseje.
Reproduzo abaixo das chamadas para os 4 volumes, os índices de cada um deles.
Paulo Roberto de Almeida


BOOKS

COORDENADORES:
CAMILO NEGRI
ELISA DE SOUSA RIBEIRO

VOLUME I

A AMÉRICA LATINA NA ORDEM ECONÔMICA MUNDIAL, DE 1914 A 2014
Paulo Roberto de Almeida

AS ESTRATÉGIAS DE ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS PARA A AMÉRICA LATINA
Sonia Ranincheski e Henrique Carlos de Oliveira de Castro

“CLÁUSULAS DEMOCRÁTICAS” E TRANSCONSTITUCIONALISMO NA AMÉRICA DO SUL: UMA ANÁLISE BASEADA NA RUPTURA INSTITUCIONAL NO PARAGUAI
Carina Rodrigues de Araújo Calabria e Felipe Neves Caetano Ribeiro

O DESAFIO ESTÁ LANÇADO: O BRASIL EM BUSCA DA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA SUL-AMERICANA (2000-2010)
Helen Miranda Nunes

PARADIGMAS DA ATUAÇÃO BRASILEIRA NO MERCOSUL
Elisa de Sousa Ribeiro e Felipe Pinchemel

RECOMPENSA, HONRA, SUBMISSÃO: VERSÕES DA ENTRADA DO BRASIL NA SOCIEDADE DAS NAÇÕES
Mariana Yokoya Simoni

DA HESITAÇÃO À AFIRMAÇÃO: A POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA PARA A REGIÃO PLATINA NA 2ª CHANCELARIA DE PAULINO JOSÉ SOARES DE SOUZA (1849-1853)
Hugo Freitas Peres

A INTERVENÇÃO BRASILEIRA DE 1851 NO URUGUAI: CONDICIONANTES, OBJETIVOS E RESULTADOS
Rafael Braga Veloso Pacheco

INTEGRAÇÃO E DIREITO AO DESENVOLVIMENTO NA AMÉRICA DO SUL
Alex Ian Psarski Cabral e Cristiane Helena de Paula Lima Cabral


VOLUME II

A GRANDE DIVERGÊNCIA NA ECONOMIA MUNDIAL E A AMÉRICA LATINA (1890-1940)
Paulo Roberto de Almeida

MEDIAÇÃO BRASILEIRA EM CONFLITOS SUL-AMERICANOS NA DÉCADA DE 1930: A QUESTÃO DE LETÍCIA E A GUERRA DO CHACO
Vinícius Fox Drummond Cançado Trindade

OS PROJETOS SUL-AMERICANOS DE INTEGRAÇÃO REGIONAL: A “IMPLOSÃO” DO PROJETO DA ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO DAS AMÉRICAS E AS ALTERNATIVAS EM CONSTRUÇÃO
Marco Antônio Alcântara Nascimento

A DIFÍCIL ARTE DE ENTENDER O QUE O OUTRO QUER DIZER
Luiz Eduardo Abreu

ENTRAVES CONSTITUCIONAIS BRASILEIROS A UMA INTEGRAÇÃO REGIONAL
Carolina Nogueira Lannes Gonçalves

DEZ ANOS DE CRIAÇÃO DO PARLAMENTO DO MERCOSUL: HÁ ALGO QUE COMEMORAR COM A PARTICIPAÇÃO SOCIAL MERCOSULINA?
Alex Ian Psarski Cabral e Cristiane Helena de Paula Lima Cabral

INTEGRAÇÃO REGIONAL E SOLUÇÃO DE CONTROVÉRSIAS: ADEQUAÇÃO ENTRE MEIOS E FINS
Patrícia Cristina Orlando Villalba

TELEVISÃO, DOMINANTES CULTURAIS E DISCURSOS HEGEMÔNICOS NA CONSTRUÇÃO DA BRASILIDADE E DA ARGENTINIDADE EM PERSPECTIVA COMPARADA
Li-Chang Shuen

PRIVATIZAÇÃO DA VIDA URBANA E RESTRIÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO NAS METRÓPOLES LATINO-AMERICANAS
Rafael de Aguiar Arantes


VOLUME III

MIGRAÇÃO INTERNACIONAL, REFÚGIO E TRÁFICO INTERNACIONAL DE PESSOAS NA AMÉRICA DO SUL: ESCLARECENDO, CONTABILIZANDO(!), DESCORTINANDO E PROTEGENDO
Alline Pedra Jorge Birol

RETRATOS GEOGRÁFICOS E HISTÓRICOS SOBRE OS DIFERENTES PARADIGMAS APLICADOS NA FAIXA DE FRONTEIRA DO BRASIL (1872-2010)
Eloisa Maieski Antunes

AMAZÔNIA: UMA ANÁLISE SOBRE A SOBERANIA E A DEFESA ESTRATÉGICA DO ESTADO BRASILEIRO
Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha e Romeu Costa Ribeiro Bastos

CONSEQUÊNCIAS ECONÔMICAS DAS CONSTITUIÇÕES BRASILEIRAS, 1824-1946
Paulo Roberto de Almeida

O PRIMEIRO EMBAIXADOR, À SOMBRA DO BARÃO
Luigi Bonafé

AS CENTRAIS SINDICAIS NO MERCOSUL: ENTRE UM COLABORACIONISMO CRÍTICO E UMA CRÍTICA COLABORACIONISTA
Paulo Afonso Velasco Júnior

O PAÍS DE ORIGEM DE UMA EMPRESA MULTINACIONAL IMPORTA? LÓGICAS
INSTITUCIONAIS EM CONFLITO E EM COOPERAÇÃO NA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL
Annie Lamontagne

ANOTAÇÕES SOBRE OS INSTITUTOS DO MATCHING CREDIT E TAX SPARING NOS ACORDOS INTERNACIONAIS
Patrícia Cristina Orlando Villalba


VOLUME IV

TOCQUEVILLE REVÊ A AGRURAS DA DEMOCRACIA NA AMÉRICA DO SUL
Paulo Roberto de Almeida

O PAPEL DA UNASUL NO DESENVOLVIMENTO DA DEMOCRACIA NA AMÉRICA LATINA: A POSSIBILIDADE DE APLICAÇÃO DA CLAÚSULA DEMOCRÁTICA
Diaulas Costa Ribeiro e Júlio Edstron S. Santos

A ESTRUTURA DE OPORTUNIDADE POLÍTICA E CULTURAL: A CRIAÇÃO DA REDE BRASILEIRA DE INTEGRAÇÃO DOS POVOS (REBRIP)
Edélcio Vigna

A CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS COMO FONTE DE INTEGRAÇÃO DOS ESTADOS SUL-AMERICANOS: OS CASOS DE DECLARAÇÃO DE INCONVENCIONALIDADE DAS LEIS DE AUTOANISTIA NOS PAÍSES DO CONE SUL
Liziane Angelotti Meira, Júlio Edstron S. Santos e Hadassah Laís de Sousa Santana

ELEMENTOS DE CONTINUIDADE E RUPTURA DA POLÍTICA EXTERIOR VENEZUELANA: DO PUNTOFIJISMO AO CHAVISMO
Carolina Silva Pedroso

A COOPERAÇÃO ENTRE O BRASIL E A UNIÃO EUROPEIA: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA ARGUMENTAÇÃO DE MORAVCSIK
Almeida Falcão e Lucas Ribeiro Guimarães

ESTRATÉGIAS DE COOPERAÇÃO SUL-SUL: A EXPERIÊNCIA DO BRASIL COM A GUINÉ BISSAU
Maria do Carmo Rebouças dos Santos, Richard Santos e Umberto Euzebio

A REFORMA POLÍTICA BRASILEIRA DE 2015 SOB AS ÓTICAS DO NEO-INSTITUCIONALISMO
Robson Rael

A EXPORTAÇÃO DE CARNE BRASILEIRA PARA OS MERCADOS KOSHER E HALAL APÓS O PLANO REAL
Bruno Henrique Faria Cabral

CONSTRUCCIÓN HISTÓRICA DEL ESTRUCTURALISMO LATINOAMERICANO
Laura Emilse Brizuela

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Da Democracia na America do Sul: Tocqueville de novo em missao - Paulo Roberto de Almeida

Nesta quinta-feira, 14 de abril de 2016, as 19:15, no auditório da Faculdade de Tecnologia da UnB, a convite do Instituto Liberal do Centro-Oeste (ILCO), farei uma palestra-debate sobre uma nova missão de Monsieur Alexis de Tocqueville à nossa região (de quem fui apenas um assistente e tradutor), sob este título:


Da democracia na América do Sul: o que Tocqueville diria das atuais mudanças políticas e econômicas no continente?

Paulo Roberto de Almeida
Secretário de M. Alexis de Tocqueville.
Sumário:
Introdução do assistente de redação - Paulo Roberto de Almeida
Rapport préliminaire de Monsieur Alexis de Tocqueville à la Banque Mondiale
1. Qual foi o ponto de partida dos sul-americanos e no que ele se distingue do ponto de partido dos do norte?
2. Do estado social nas duas partes do hemisfério americano
3. Do princípio da soberania do povo na América do Sul, ou da sua negação
4. O que houve na América do Sul, que desmentiu suas promessas de avanço?
5. Onde os sul-americanos erraram ao passo que os asiáticos acertavam?
6. O que ocorreu na América do Sul nas últimas décadas?
7. A América do Sul passou a divergir internamente e no relacionamento externo
     (a) Os globalizadores; (b) Os reticentes; (c) Os bolivarianos
8. Avanços e recuos na América do Sul, comparativamente à Ásia Pacífico
9. O que esperar da América do Sul no futuro próximo?

Resumo: Com base num quadro conceitual tocquevilleano – liberdade, democracia, igualdade, organização política, descentralização administrativa, etc. – o ensaio examina o longo desenvolvimento político e econômico na América do Sul, destacando suas limitações e insuficiências, realiza breve comparação com o desempenho de países da Ásia Pacífico, a performance de três blocos de países – globalizadores, reticentes e bolivarianos – e os avanços e recuos no período recente, também em escala comparativa com os asiáticos. Termina por identificar os desafios atuais aos países da região, entre a continuidade do isolamento e introversão atuais e a opção pela inserção na globalização, como já feito por diversos países, com destaque para o Chile.
Palavras-chave: América do Sul; Alexis de Tocquevile; desenvolvimento; globalização; democracia; liberdades econômicas.

O texto, em sua versão preliminar, está disponível nesta plataforma: 
Academia.edu: https://www.academia.edu/s/7fe09f1081

Quem desejar comentar, criticar, responder aos meus argumentos, sinta-se à vontade.

Esse texto é uma sequência de um anterior, que relatou uma visita de Tocqueville ao Brasil em 2009, também em missão do Banco Mundial (que pagou todas as despesas): 

De la Démocratie au Brésil: Tocqueville de novo em missão 

Revista Espaço Acadêmico, n. 103, dezembro de 2009
http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/8822/4947

no meu blog Diplomatizzando
http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2011/07/tocqueville-de-novo-em-missao-o-brasil.html 
 

terça-feira, 5 de abril de 2016

Tocqueville rides again: cette fois toute l'Amerique du Sud: impossible ce Francais - Paulo Roberto de Almeida

Parece que eu tenho algo a ver com isso, mas não é verdade. Só servi de secretário assistente e de tradutor improvisado, quando da primeira vinda de Monsieur de Tocqueville à região, mais especificamente ao Brasil (veja aqui: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/8822/4947).
Ele parece ter gostado, tanto que me requisitou novamente para esta nova missão encomendada pelo Banco Mundial, desta vez cobrindo toda a região, o que foi bastante cansativo, tendo em vista sua idade já relativamente avançada.
Mas, procurei facilitar ao máximo seu périplo, me encarregando das malas, manuscritos, contatos, transportes e hoteis. Parece que ele gostou, tanto que me disse que gostaria de voltar novamente ao Brasil (que desta vez ficou de fora) no futuro próximo, mas apenas quando esse governo podre cair. Corajoso Monsieur de Tocqueville.
Vamos ter de oferecer algum doutorado Honoris Causa para ele, mas ele me disse que aceita apenas de universidades não gramscianas (o que reduz bastante o espectro de possibilidades).
Em todo caso, aqui vai o convite para o relatório preliminar da missão Tocqueville:

Confirme presença no evento!
https://www.facebook.com/events/214523932249379/

A América do Sul passa por uma transição marcada, notadamente, pelo enfraquecimento ou até colapso de diversos regimes populistas que protagonizaram a política do sub-continente na última década.

Caso estivesse vivo nos dias atuais, o que um autor clássico da filosofia política como Alexis de Tocqueville diria desse processo? O acadêmico e diplomata de carreira Prof. Dr. Paulo Roberto de Almeida buscará discutir essa questão em sua palestra para o Instituto Liberal do Centro-Oeste.
— at FT - Faculdade de Tecnologia da UnB.
Dia 14/04/2016, 19:15hs.

terça-feira, 1 de março de 2016

America Latina e America do Sul: uma selecao de trabalhos - Paulo Roberto de Almeida

Apenas uma seleção rápida de alguns trabalhos que escrevi nos últimos anos sobre temas regionais, mas à exclusão de vários que tinham a ver precipuamente com integração regional ou comércio internacional.
Paulo Roberto de Almeida


RELAÇÃO DE TRABALHOS SOBRE AMÉRICA LATINA E DO SUL
(Desde 2010, até 2016)
Paulo Roberto de Almeida
Atualizada em 1 de março de 2016

(excluídos os sobre integração stricto sensu; na ordem cronológica inversa)

2827. “Siete Tesis Equivocadas sobre Brasil en el contexto latinoamericano: una relectura de las tesis de Stavenhagen aplicadas a Brasil”, Brasília, 26 maio 2015, 26 p. Paper em Espanhol, com base no esquema n. 2768, escrito originalmente em Português, a partir do trabalho n. 2795, para o Seminário: Nuevas Miradas Tras Medio Siglo de la Publicación de Siete Teses Equivocadas sobre América Latina (Colegio de México; 25-26 junio 2015). Revisão geral em Anápolis, em 3/06/2015, para inclusão de bibliografia. Revisão final, Hartford, 9/08/2015. Em publicação.

2801. “Por Que a América Latina é Pobre e a América do Norte Rica?”, Hartford, 29 março 2015, 63 slides. Apresentação em PowerPoint para a aula virtual para alunos da UEPB. Disponibilizado no Academia.edu (link: https://www.academia.edu/11712721/2801_Por_Que_a_Am%C3%A9rica_Latina_%C3%A9_Pobre_e_a_Am%C3%A9rica_do_Norte_Rica_2015_).


2795. “Sete teses equivocadas sobre o Brasil no contexto latino-americano: uma releitura das teses de Stavenhagen aplicadas ao Brasil”, Hartford, 24 março 2015, 22 p. Paper preparado para o Seminário: Nuevas Miradas Tras Medio Siglo de La Publicação Sete Teses Equivocadas sobre América Latina (Colegio de México; 25-26 junio 2015). A ser publicado em espanhol, na versão do trabalho 2827.

2788. “A grande divergência na economia mundial e a América Latina (1890-1940)”, Hartford, 9 março 2015, 23 p. Compilação dos capítulos 4 e 8, provisórios, do livro A Ordem Internacional e o Progresso da Nação. Trabalho submetido para o segundo volume de livro sobre a América do Sul, coordenado por Elisa Sousa Ribeiro e Camilo Negri. Enviado em 9/03/2015. Publicado in: Camilo Negri e Elisa Sousa Ribeiro (coords.), Retratos Sul-Americanos, vol. II: Perspectivas Brasileiras sobre História e Política Externa (Brasília: s.n., 2015, 584 p.; eISBN: 978-85-448-0269-4; p. 10-60; ASIN: B0145QOPWI; disponível na Amazon, link: http://amzn.com/B0145QOPWI; link para Bookess: http://www.bookess.com/read/23682-retratos-sul-americanos-perspectivas-brasileiras-sobre-historia-e-politica-externa-volume-ii/). Relação de Publicados n. 1202.

2731. “A América Latina na economia mundial, do século XX ao XXI”, Hartford, 14 dezembro 2014, 1 p. Texto preparado para integrar o livro Retratos sul-americanos: perspectivas sobre a história e a política externa (organizado por Camilo Negri e Elisa de Sousa Ribeiro: 17/08/2014). Publicado, sob o título de “A América Latina no cenário internacional, a um século de distância”, na Revista Eletrônica de Direito Internacional (Belo Horizonte: CEDIN, vol. 15, 2015-1, digital; ISSN: 1981-9439; link da revista: http://www.cedin.com.br/publicacoes/revista-eletronica/; link do artigo: http://www.cedin.com.br/wp-content/uploads/2014/05/Artigo-Paulo-Roberto-de-Almeida.pdf; disponível na plataforma Academia.edu, link: https://www.academia.edu/12871006/2731_A_America_Latina_no_cenario_internacional_a_um_seculo_de_distancia_2014_). Publicado sob o título original, in: Camilo Negri e Elisa de Sousa Ribeiro (Coords.), Retratos-americanos: perspectivas sobre a história e a política externa, vol. I (Brasília: s.n., 2015, 486 p.; e-ISBN: 978-85-44801-20-8; p. 10-72; disponível na Amazon, link: http://www.amazon.com.br/dp/B00U6XPZAQ; em Bookess: http://www.bookess.com/read/23001-retratos-sul-americanos-perspectivas-brasileiras-sobre-historia-e-politica-externa-volume-i/). Relação de Publicados ns. 1165 e 1179.


2583. “Temas de Política Externa: 1. O Brasil, a América do Sul e a integração regional”, Hartford, 11 março 2014, 2 p. Exercício de reflexão a propósito dos temas selecionados para os “Diálogos de Política Externa”, promovidos pelo Ministro de Estado das Relações Exteriores junto a diplomatas, funcionários públicos, acadêmicos, representantes do mundo empresarial e da chamada sociedade civil, e que deveriam servir de elementos constitutivos para um Livro Branco da Política Externa, prometido para meados de 2014. Divulgado no blog Diplomatizzando (link: http://diplomatizzando.blogspot.com/2014/03/temas-de-politica-externa-1-o-brasil.html). Divulgado no site do Instituto Millenium (13/03/2014; link: http://www.imil.org.br/artigos/temas-de-poltica-externa-1/) e no site Dom Total (13/03/2014; link: https://domtotal.com/colunas/detalhes.php?artId=4138).

2574. “A grande marcha para trás da América Latina”, Hartford, 25 Fevereiro 2014, 34 p. Versão em Português do trabalho 2381: “La grande marche en arrière de l’Amérique Latine” (Paris, 6 Avril 2012, 28 p.); Colloque “Dépasser les dichotomies: (comment) penser autrement les Amériques?”, Paris, IHEAL, 3 mai 2012. Feita versão reduzida, sob o título de “Caminhos divergentes na América Latina: Globalizados, Reticentes e Bolivarianos”, sem atribuição. Refeito em formato reduzido, sob o título de “A grande fragmentação na América Latina: globalizados, reticentes e bolivarianos”, para a revista Carta Internacional. Mesmo texto aproveitado para compor trabalho n. 2602. Nova revisão em 16/12/2014. Publicado em Carta Internacional (Associação Brasileira de Relações Internacionais-ABRI, v. 9, n. 1, 2014, p. 79-93; link da revista: http://www.cartainternacional.abri.org.br/index.php/Carta/issue/view/10; link para o artigo em pdf: http://www.cartainternacional.abri.org.br/index.php/Carta/article/view/86/79). Divulgado no blog Diplomatizzando (22/01/2015; link: ) e no Facebook. Relação de Publicados n. 1159.

2504. “Política Internacional, Comércio Mundial, Integração na América Latina” Hartford, 7 Agosto 2013, 23 p. Entrevista concedida ao Instituto Millenium, sobre diversas questões de interesse contemporâneo; divulgada parcialmente em formato de podcast (http://www.imil.org.br/podcasts/o-brasil-ficou-para-tras-nos-intercambios-cientificos-tecnologicos/) em 24/09/2013.

2481. “Margareth Thatcher, seu legado econômico e a América Latina”, Hartford, 22 Abril 2013, 7 p. Respostas a questões colocadas por estudante de jornalismo da Unesp, para reportagem sobre o impacto da morte de Thatcher. Divulgado no blog Diplomatizzando (link: http://diplomatizzando.blogspot.com/2013/04/margareth-thatcher-seu-legado-e-america.html).

2381. “La grande marche en arrière de l’Amérique Latine”, Paris, 6 Avril 2012, 28 p. Texte préparé pour servir à une conférence plénière, dans le Colloque “Dépasser les dichotomies: (comment) penser autrement les Amériques?”, Paris, IHEAL, 3 mai 2012. Révision formelle : Lugano, 20 Avril 2012; présentation en format de PowerPoint. Disponível no site: http://www.pralmeida.org/05DocsPRA/2381MarcheArriereAmLatine5.pdf. Vídeo disponível em: http://vimeo.com/43337997. Publicado no BJIR – Brazilian Journal of International Relations (vol. 1, n. 2, 2012, p. 8-37; ISSN: 2237-7743; link: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjir/article/viewFile/2414/1992). Relação de Publicados n. 2381.

2091. “Volta ao mundo em 25 ensaios: 17. Por que a América Latina não decola: alguma explicação plausível?”, Brasília, 8 janeiro 2010, 3 p. Continuidade da série, examinando a estagnação e o atraso da região no confronto com as demais. Revisão em Shanghai, 14.04.2010. Publicado em Ordem Livre (30 de agosto de 2010); postado no blog Diplomatizzando (link: http://diplomatizzando.blogspot.com/2010/09/por-que-america-latina-nao-decola-paulo.html). Reproduzido em Via Política (29.11.2010) e em Dom Total (9.12.2010; link: http://www.domtotal.com/colunas/detalhes.php?artId=1708). Relação de Publicados n. 988.